Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 140-141 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 140-141 (November 2019)
264
Open Access
Incidência de câncer colorretal metastático ao diagnóstico em instituição de referência no centro‐oeste paulista
Visits
...
PdA. Marques, PCBdAC. Silva, M.M.S. Craveiro, L.H.C. Saad, R.S. Hossne, A.B. Neto, C.A. de Castro, W.K. de Oliveira
Universidade Estadual Paulista (Unesp), Botucatu, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças malignas e pré‐malignas dos cólons, reto e ânus

Categoria: Pesquisa básica

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): O câncer colorretal (CCR) é aquele que acomete cólon, reto e apêndice cecal, correspondendo a um dos mais frequentes tipos de câncer, acometendo 10% de todos os casos novos de câncer diagnosticados e 8,5% de mortes, sendo o terceiro mais frequente em homens e o segundo em mulheres, em todo o mundo. No Brasil, segundo dados do INCA, estima‐se que a incidência de 16,83/100 mil homens e 17,90/100 mil mulheres, no biênio 2018–2019. A presença de metástase é a principal causa de mortalidade e indicador de mau prognóstico em pacientes com CCR, sendo o fígado o sítio metastático mais comum. Aproximadamente 15% dos pacientes com CCR são diagnosticados com metástase hepática sincrônica, e 50% dos pacientes com CCR desenvolveram metástase hepática metacrônica após a ressecção do tumor primário. Segundo Tao et al. (2019), apenas cerca de 40% dos CCR tem diagnóstico realizado em seu sítio primário, sendo os 60% restantes são diagnosticados a partir de metástases locais ou distantes. Os fatores que influenciam o padrão anatômico das metástases permanecem pouco compreendidos. Os sítios mais frequentes de metástase no câncer colorretal incluem fígado, pulmão, sistema nervoso e osso, dentre os mais comuns. Objetivo: Avaliar da incidência de neoplasia metastática ao diagnóstico de câncer colorretal em 2018 em nossa instituição.

Método: Realizado levantamento de dados através de prontuário eletrônico para identificação de casos com evidência de metástase ao diagnóstico da neoplasia colorretal no ano de 2018 e correlacioná‐los com dados da literatura.

Resultados: Em nosso serviço foram diagnosticados 84 novos casos de câncer colorretal, dos quais 26 pacientes (31%) apresentavam ao estadiamento inicial sinais de metástase. Dos 26 pacientes diagnosticados, 15 apresentavam câncer de colón (57,6%) e 11 de reto (42,3%), sendo que 18 apresentavam metástase hepática (10 com neoplasia de cólon como sítio primário x 8 com primário em reto), 6 com metástase pulmonar (2 cólon x 4 reto), 8 com metástase para linfonodos regionais (5 cólon x 3 reto), 1 caso com metástase para baço, 1 com metástase óssea, 2 com evidência de carcinomatose peritoneal e 1 com lesão metastática em pâncreas e duodeno. No total de pacientes avaliados, 8 pacientes apresentavam metástase em mais de um sítio, sendo que os demais apresentavam apenas 1 sítio de acometimento.

Conclusão(ões): Os sítios de metástase constituem fator prognóstico importante no CCR, sendo que a relação entre a localização do tumor primário, suas características moleculares e seus locais de metástase podem fornecer dados importantes para contribuição futura no tratamento e sobrevida dos pacientes com CCR.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools