Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 142 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 142 (November 2019)
779
Open Access
Influência do sítio tumoral no comportamento dos adenocarcinomas colônicos esporádicos submetidos ao tratamento cirúrgico
Visits
...
S.M. Frizol, J.H.C. Lopes, M.C.R. Silveira, J.M. Miranda, M.R. Feitosa, R.S. Parra, O. Féres, J.J.R. Rocha
Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), Universidade de São Paulo (USP), Ribeirão Preto, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças malignas e pré‐malignas dos cólons, reto e ânus

Categoria: Estudo clínico não randomizado

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Avaliar o impacto da lateralidade no comportamento tumoral, em uma coorte de pacientes submetidos ao tratamento cirúrgico para tratamento de adenocarcinomas do cólons.

Método: Análise retrospectiva de prontuários eletrônicos de pacientes submetidos à cirurgia curativa para tratamento de adenocarcinoma do cólon esporádico. Aos tumores foram divididos em cólon direito (CD) (localizados do ceco à flexura esplênica) e cólon esquerdo (CE) (do descendente ao retossigmoide). Realizou‐se uma análise descritiva dos aspectos clínicos dos tumores de cólon e uma comparação dos desfechos cirúrgicos e oncológicos nos dois primeiros anos de seguimento

Resultados: Foram analisados 141 (59,5%) paciente com tumor no CE e 96 (40,5%) no CD. Em relação à distribuição do gênero, idade, índice de massa corpórea, tabagismo, etilismo, classificação ASA, níveis séricos de albumina e percentual de doença avançada, não houve diferença entre os grupos. Tumores do CD apresentaram maior prevalência de anemia (81,2% x 59,6%; p<0,001). Cirurgia de urgência foi mais frequentes nos tumores de CE (17% x 2,1%; p<0,001). Acesso videolaparoscópico foi mais utilizado nos tumores do CE (21,3% x 4,2%; p<0,001). Em relação aos aspectos cirúrgicos, as diferenças entre as taxas de acidentes intraoperatórios, tempo de internação, taxas de reinternação, reoperação e óbito precoces não foram estatisticamente diferentes. Cirurgias para tumores do CE tiveram duração média mais longa (190min x 167min; p=0,007) e maior taxa de confecção de estomas (36,9% x 18,8%; p=0,004). Em relação ais desfechos oncológicos, tumores do CD tiveram maior taxa de tumores ≥ 5cm (66,7% x 44,6%; p=0,001), pouco diferenciados (13,5% x 5%; p=0,03) e com diferenciação mucinosa (33,3% x 15,6%; p=0,002). Não houve diferenças estatísticas entre as taxas de recidiva e óbito em 2 anos de seguimento.

Conclusão(ões): Na presente comparação, tumores do CD foram mais volumosos, pouco diferenciados e com maior diferenciação mucinosa. Os pacientes com tumores de CD também apresentaram maior percentual de anemia. Cirurgia de urgência e confecção de estomas foram mais frequentes nos tumores do CE. Não houve diferenças nas taxas de recidiva e óbito em 2 anos de seguimento.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools