Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 55-56 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 55-56 (November 2019)
609
Open Access
Intussucepção intestinal por carcinoma sarcomatoide primário de jejuno
Visits
...
R.b. Sampietro, M.v. Furlanetto, G.f. Furlan, E. Endo, A.h.b.g. Vieira, H.l. Invitti, R. Valarini, A.s. Brenner
Hospital Universitário Evangélico Mackenzie. Curitiba. PR, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças malignas e pré‐malignas dos cólons, reto e ânus

Categoria: Relatos de caso

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): O objetivo deste trabalho é relatar o caso de um paciente com oclusão intestinal secundaria a intussuscepção de jejuno por um carcinoma sarcomatoide primário.

Descrição do caso: Feminina, 63 anos, branca, previamente hígida, admitida no pronto socorro de um hospital terciário em Cutitiba – PR, com queixa de dor abdominal há 5 dias, com piora há dois, evoluindo com náuseas, vômitos e ausência de eliminação de fezes e flatos. Encontrava‐se desidratada, taquicárdica, com abdome distendido, peristalse presente, doloroso a palpação difusa, sem sinais de peritonite. Toque retal com presença de fezes e sem sangramento. Foi optado por sondagem nasogástrica com débito imediato de 400mL bilioso, foi realizada uma tomografia de abdome que evidenciou imagem em alvo em fossa ilíaca direita, sugestiva de intussuscepção intestinal, com dilatação a montante. Optou‐se pela laparotomia exploradora que apresentou intussuscepção intestinal em jejuno e um linfonodo proeminente em mesentério. Foi realizada enterectomia, o anatomopatológico revelou carcinoma sarcomatoide da mucosa até a serosa. Pela raridade da doença foi realizada revisão de lâmina confirmando carcinoma sarcomatoide. A imuno‐histoquímica evidenciou neoplasia maligna de padrões fusiformes, pouco diferenciada, sugerindo origem no trato gastrointestinal.

Discussão: O tumor sarcomatoide primário de intestino delgado é uma neoplasia rara e agressiva, com incidência de 0,5 a 0,8 por 100.000 habitantes/ano. A idade média de apresentação desses tumores é de 57 anos, sendo os diagnósticos diferenciais o adenocarcinoma, tumores neuroendócrinos, sarcomas e linfomas. A sintomatologia é inespecífica, com dor abdominal, massa abdominal palpável, náuseas, vômitos, e perda ponderal, ou já com complicações, como sangramento e oclusão intestinal. Para o diagnóstico pré‐operatório em casos não complicados nos deparamos com a dificuldade de avaliação do intestino delgado, pois exames de fácil acesso como a tomografia e a seriografia intestinal contrastada revelam apenas achados inespecíficos, não demonstrando lesões menores. Exames de avaliação endoscópicos, como a capsula endoscópica possuem melhor acurácia para avaliação do delgado, porém, são muito onerosos. O tratamento de primeira linha é a ressecção cirúrgica do tumor primário. Devido aos riscos de complicações locais e a baixa resposta terapêutica a radioterapia e quimioterapia não é indicada. O prognóstico destes pacientes é ruim, com mortalidade de 70% entre dois meses e 3 anos de seguimento.

Conclusão: O carcinoma sarcomatoide é um tumor raro e agressivo, de difícil diagnóstico por sua incidência reduzida e baixo índice de suspeição. Deve ser recordado nos diagnósticos diferenciais de lesões gastrointestinais, para sua abordagem precoce e consequentemente melhorar a sobrevida no longo prazo.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools