Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 64 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 64 (November 2019)
363
Open Access
Intussuscepção intestinal como achado de colonoscopia
Visits
...
K.R. Fagundesa, I.F.C. Amorimb, P.M. Motac, M.R. Fagundesa, R.F. Azevedoa, D.B. Carmoa, E.A.W. Silvab, L.R. Pelegrinellib
a Hospital Nova Aliança, Guanambi, BA, Brasil
b Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Uberaba, MG, Brasil
c Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF), Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Montes Claros, MG, Brasil
Article information
Full Text

Área: Métodos complementares diagnóstico e terapêutica

Categoria: Relatos de caso

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): A intussuscepção é a entrada de um segmento do tubo gastrintestinal em direção ao segmento adjacente. Nos adultos a idade media de aparecimento de intussuscepção é de 54,4 anos, com pequeno predomínio em mulheres. A invaginação em adulto é rara, perfazendo 5% dos casos de intussuscepção e 1% das causas de obstrução intestinal. O mecanismo exato que leva a invaginação ainda é desconhecido, entretanto, acredita‐se que qualquer lesão ou processo irritativo dentro do lúmen intestinal é capaz de desencadeá‐la.

Descrição do caso: Paciente masculino, 51 anos de idade, previamente hígido, com queixas de dores abdominais inespecíficas e pesquisa de sangue oculto positivo. Comparece ao serviço para realização de colonoscopia eletiva. Nega vômitos ou perda de peso. Hábito intestinal regular. Nega história de câncer colorretal na família. Ao exame foi evidenciado tumoração em íleo terminal que funcionava como cabeça de intussuscepção para ceco. A intussuscepção apresentava redução espontânea.

Discussão e Conclusão(ões): Estima‐se que 90% das intussuscepções em adultos tenham causa subjacente. No intestino grosso, os tumores malignos respondem por mais de 50% dos eventos. Outros fatores de risco citados, além de tumores malignos e benignos, são: doença inflamatória intestinal, cirurgia abdominal prévia, divertículo de meckel, entre outros. Pode ser classificada em relação a sua sintomatologia, em aguda, menos de quatro dias; subaguda, quatro a 14 dias; e crônica, acima de 14 dias. Os sintomas de intussuscepção no adulto, diferentemente da criança, são geralmente inespecíficos e crônicos, com achados clínicos não muito claros, sugerindo obstrução intestinal na maioria das vezes. Em relação ao diagnóstico pré‐operatório, a literatura informa que o mesmo só é possível em apenas 32% das situações. No passado, a intussuscepção de cólon foi diagnosticada com enema de contraste mostrando uma sombra em forma de garra de caranguejo. Como opção diagnóstica existe o ultrassom e tomografia de abdome com contraste, que revela a típica imagem em alvo em alguns casos. Em outros a colonoscopia também pode elucidar o diagnóstico. Intussuscepção em adultos é muitas vezes descoberto apenas durante a cirurgia exploratória. A maioria dos estudos orienta não realizar tentativa de redução da intussuscepção em adultos, devido a grandes chances de doença neoplásica e com isso risco de semeadura tumoral e risco de perfuração intestinal em locais com tecido em sofrimento, edema e possível necrose. Diante do exposto, concluímos que a intussuscepção intestinal em adultos é um evento raro e pode esta associada ao processo neoplásico. Os meios diagnósticos na maioria dos casos são inconclusivos e o mesmo só é elucidado após cirurgia exploratória. A ressecção cirúrgica em bloco com anastomose primária ou não é a melhor escolha.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools