Journal Information
Vol. 38. Issue S1.
Pages 87 (October 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 38. Issue S1.
Pages 87 (October 2018)
P42
DOI: 10.1016/j.jcol.2018.08.186
Open Access
LESÃO SINCRÔNICA EM COLOSTOMIA – RELATO DE CASO
Visits
...
Christiane Diva Campos Veneroso, Anna Caroline Guerro, Jorge Benjamin Fayad, Alexandre Queiroz Franco Henriques, Claudia Maria Vale Joaquim Falbo Domingos, Cristine Maria dos Santos Quintas, Luciana Paes Peixoto Netto
Hospital Federal de Ipanema, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: Durante o ato cirúrgico, a confecção de uma colostomia tem como finalidade o desvio temporário ou definitivo do trânsito intestinal colônico. Este procedimento não é isento de complicações, mesmo realizada com técnica cirúrgica adequada. as complicações locais podem ocorrer tanto no pós‐operatório imediato, precoce ou tardio. Entre elas, o surgimento de neoplasias metacrônicas são encontradas no seguimento de até 0,6 a 8% dos pacientes.

Caso clínico: P.B.V., masculino, 74 anos, submetido a confecção de transversostomia em alça em fevereiro de 2018 devido quadro obstrutivo por neoplasia de ângulo esplênico (adenocarcinoma moderadamente diferenciado). Foi encaminhado ao Serviço de Colproctologia do HFI para tratamento cirúrgico sendo diagnosticada nova lesão vilosa vegetante em borda de colostomia (adenoma túbulo‐viloso com displasia de alto grau). Durante o pré‐operatório foram identificadas múltiplas metástases hepáticas. Optou‐se por tratamento com quimioterapia para regressão de lesões hepáticas e posterior procedimento cirúrgico.

Discussão: Metaplasia devido doença inflamatória, presença de lesão neoplásica metacrônica, margem cirúrgica com ressecção inadequada, a polipose colônica e o implante ou recidiva da doença tumoral 6,7 são fatores que levam ao aparecimento de neoplasia na colostomia. O surgimento de nova lesão no caso em questão provavelmente se deu por polipose colônica.

Conclusão: O acompanhamento colonoscópico de todos os segmentos colônicos deve ser feito durante o controle oncológico dos pacientes que apresentaram neoplasia primária colônica. Porém, o exame físico cauteloso das colostomias deve ser feito, inclusive, retirando‐se a bolsa, pois uma lesão metacrônica pode ocorrer em qualquer segmento do cólon.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools