Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 29 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 29 (October 2017)
TL7‐066
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.365
Open Access
LIGADURA INTERESINCTERIANA DISTAL (LIFTD) COM FISTULOTOMIA INTERNA. NOVA TÉCNICA NO TRATAMENTO DAS FÍSTULA ANAIS
Visits
...
Eduardo de Paula Vieira, Monica Jornada, Carlos Paul
Hospital Central da Policia Militar (HCPM), Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: Fístulas anorretais são processos supurativos crônicos caracterizados por comunicação anormal delimitada à parede do reto e canal anal ou que se estabelece entre esse e os tecidos ou órgãos vizinhos. Diversas técnicas cirúrgicas foram desenvolvidas e mais recentemente a técnica de Lift, porém com relatos de recidivas, principalmente interesficnterianas. Desenvolvemos essa técnica com preservação do esfíncter externo e secção do interno para preservação da musculatura estriada e minimizar as recidivas relatadas.

Objetivo: Avaliar a acurácia dessa nova técnica cirúrgica no tratamento das fístulas anais.

Métodos: Estudo prospectivo feito entre janeiro de 2016 e junho de 2017. Incluiu 16 pacientes com diagnóstico clínico de fístula anal, seis mulheres e 10 homens, entre 19 e 67 anos, submetidos à ultrassonografia endoanal 3D para avaliação pré‐operatória dos trajetos fistulosos. Desses pacientes, 10 foram considerados como fístula complexa, com acometimento muscular maior do que 30%. Fizemos a introdução do estilete e posterior dissecção do trajeto no espaço interesficnteriano, em seguida foi feita a ligadura do segmento distal do trajeto, com fechamento do orifício do esfíncter externo e secção do trajeto distal desde o orifício interno, englobou o esfíncter interno.

Resultados: Observamos cicatrização completa das feridas operatórias em 14 pacientes (87,5%). Ocorreu uma recidiva em um paciente e em outro ocorreu uma dificuldade técnica, foi colocado um sedenho. O seguimento mínimo foi de dois meses após a cicatrização.

Conclusão: A cirurgia da fístula anal ainda continua a ser um desafio para o cirurgião. Essa técnica descrita apresenta nos resultados iniciais um excelente nível de resolução da patologia com mínima secção apenas do esfíncter interno e taxa de recidivas muito baixa.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools