Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 31-32 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 31-32 (November 2019)
825
Open Access
Linfoma não hodgkin em reto baixo
Visits
...
P.D. Medradoa, R.C. Fonsecaa, L.B. Silvaa, L.C. Koenowa, M.Sd.F. Filhob, P.C.C. Juniora, L.F.P. Fragaa, F.L. Pauloa
a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil
b Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Article information
Full Text

Área Doenças malignas e pré‐malignas dos cólons, reto e ânus

Categoria Relatos de caso

Forma de Apresentação Pôster

Objetivo(s) Linfoma não Hodking (LNH) é um tipo de câncer que tem origem nas células do sistema linfático e que se espalha de maneira não ordenada. Existem mais de 20 tipos diferentes de linfoma não‐Hodgkin. Como o tecido linfático é encontrado em todo o corpo, o linfoma pode começar em qualquer lugar. Os homens são mais predispostos do que as mulheres.

Descrição do caso Paciente AMB, masculino, 39 anos, com relato de dor em região anal com dificuldade em evacuar, sangramento anal e emagrecimento de 8kg. Colonoscopia: Reto inferior observamos lesão vegetante de superfície lobulada, recoberta por mucosa lisa, friável, estendendo‐se por aproximadamente 5cm. Anatomopatológico: Amostra constituída exclusivamente por fundo de lesão ulcerada com acentuado infiltrado linfoplasmocitario (processo linfoproliferativo). Não se identifica revestimento epitelial. Necessário exame de imuno‐histoquímica por fenotipagem da população linfoide. Imuno‐histoquímica: Cortes histológicos revelando densa infiltração por pequenos linfócitos revelando positividade para CD20 e plasmócitos maduros revelando positividade para MUM‐1 e restrição de expressão da imunoglobulina de cadeia leve KAPPA. Segue para oncologia clínica para quimioterapia aventada a possibilidade de linfoma

Discussão O linfoma é um tipo de neoplasia rara basta ver que neste caso ele cursou em forma de ulcera e em região de reto, quando o exame anatomopatológico não fechar o diagnóstico de adenocarcinoma devemos solicitar exame de imuno‐histoquímica.

Conclusão: Na vigência de um exame atípico temos a importância da abordagem multidisciplinar na investigação e tratamento das doenças neoplásicas raras.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools