Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 154 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 154 (November 2019)
364
Open Access
Linfonodos, perfil do tumor colorretal e do paciente: uma comparação entre cirurgias laparoscópicas e abertas
Visits
...
L.F.C.G. Medaglia, PCdC. Junior, L.M. de Castro, R.J. Garcia, B.B. Ferreira, CdP. Barros, A.H. Crelier, F.S. Gomes
Hospital Federal da Lagoa, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças malignas e pré‐malignas dos cólons, reto e ânus

Categoria: Pesquisa básica

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Descrever e analisar o perfil dos pacientes e informações da peça cirúrgica nas ressecções por neoplasia colorretal videolaparoscópica e aberta.

Método: Estudo observacional retrospectivo que foi realizado com pacientes submetidos à operação aberta e videolaparoscópica para neoplasia colorretal em um determinado ano. Os seguintes dados foram coletados: Qualitativos sendo eles sexo, via de acesso, tipo de procedimento, estágio do tumor, grau de diferenciação e invasão angiolinfática; e quantitativos idade, número de linfonodos dissecados na peça e os acometidos.

Resultados: 77 pacientes foram analisados (30 operados por via convencional e 44 por via laparoscópica). Houve maior número de retossigmoidectomias e colectomias direitas nos dois grupos. Em ambas as vias, pacientes do sexo feminino foram maioria, sendo 53,3% no grupo laparoscópico e 59% no aberto. A mediana de idade foi de 69 e 61 nos grupos de vídeo e aberto, respectivamente. A proporção de adenocarcinoma, grau de diferenciação moderado a pouco diferenciado, estágio do tumor avançado (T3 e T4), invasão angiolinfática e peças com linfonodos acometidos foi de 80, 100, 88,9, 38 e 44% para o grupo aberto e 79,5, 83,3, 51,3, 46,7 e 37,1% para o grupo laparoscópico, respectivamente. A mediana do número de linfonodos dissecados foi de 16 no grupo convencional e de 12 no grupo de acesso laparoscópico, sendo que a linfadenectomia adequada(número de linfonodos na peça igual ou maior que 12) foi obtida em 63,7% dos casos, sendo 77,8% no grupo convencional e 53,8% no da videocirurgia. Quando dividos os pacientes por tipo de procedimento, a linfadenectomia foi adequada em todos os pacientes submetidos à colectomia direita, enquanto que na retossigmoidectomia aberta e laparoscópica a taxa foi de 77,8 e 39,1%, respectivamente.

Conclusão(ões): Os pacientes submetidos às ressecções por cirurgia colorretal aberta foram mais velhos, com tumores mais avançados, maior número de linfondos dissecados e maior taxa de linfadenectomia adequada, se comparada ao grupo laparoscópico. Em relação ao subgrupo das colectomias direitas, observou‐se que a taxa de linfadenectomia adequada não foi alterada pela via de acesso.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools