Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 129-130 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 129-130 (October 2017)
P‐130
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.131
Open Access
MACROLIGADURA ELÁSTICA ALTA NA DOENÇA HEMORROIDÁRIA INTERNA – RESULTADOS
Visits
...
Milossi Estheisi Romero Machuca, Andressa Marmiroli Garisto, Regina Greilberger, Antonio José Tibúrcio Alves Junior, Joaquim Simões Neto, José Alfredo Reis Junior, José Alfredo Reis Neto
Clínica Reis Neto (CRN), Campinas, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A doença hemorroidária interna é uma patologia altamente incidente na população. A macroligadura alta é um procedimento minimamente invasivo que proporciona menos complicações no pós‐operatório e alto índice de satisfação dos pacientes.

Objetivo: Expor dados estatísticos relacionados à macroligadura elástica alta nos casos de doença hemorroidária interna.

Método: Análise de pacientes com doença hemorroidária interna, sem componente externo, sem distinguir faixa etária ou gênero, submetidos a macroligadura elástica alta, com seguimento pós‐operatório de 24 meses. Foram tratados na Clínica Reis Neto, em caráter ambulatorial, 2.108 pacientes com doença hemorroidária graus II e III, preferencialmente abordaram‐se todas as áreas em uma única sessão. Técnica: adotada a posição de Sims, sob anestesia local com 0,5mL de lidocaína na camada submucosa e sedação. Após passagem de anuscópio largo e longo, feita macroligadura com aspiração da mucosa retal do mamilo interno acometido, aproximadamente 3 ou 4cm acima da linha pectínea. Usado um aparelho aplicador de anéis de borracha por aspiração, confeccionado especialmente para esse tipo de procedimento.

Resultados: Durante dois anos de seguimento, pôde‐se observar baixo índice de recidiva, principalmente naqueles pacientes que trataram todos os mamilos hemorroidários internos. Aqueles com recorrência foram reaboradados com uma nova sessão de macroligadura. Como complicações no pós‐operatório: sangramento (3,8%), dor com necessidade de medicação endovenosa (2,1%), edema perianal (1,7%), tenesmo (1,3%) e retenção urinária (0,1%). Apenas um paciente necessitou de reabordagem cirúrgica por sangramento.

Conclusão: A macroligadura elástica alta exclusiva para pacientes com doença hemorroidária interna mostrou ser eficiente e diminuir as queixas no pós‐operatório quando comparada com outras técnicas cirúrgicas.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools