Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 75 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 75 (November 2019)
381
Open Access
Neoplasia de reto e abordagem terapêutica com uso de biomarcadores
Visits
...
R.M. Siqueira, E.F.K. Goto, I.G. Carpanetti, B.A.J. Costa, J. Nonose, Nonose R, Martinez Car
Hospital Universitário São Francisco de Assis (HUSF), Bragança Paulista, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças malignas e pré‐malignas dos cólons, reto e ânus

Categoria: Relatos de caso

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Relatar a necessidade de inovação tecnológica no que diz respeito aos biomarcadores para terapêutica do câncer colorretal

Descrição do caso: N.T.S., 67 anos, masculino, refere diarreia e evacuação de muco claro há 8 meses. Relata aumento de flatulências, dor ao evacuar e tenesmo, associado há evacuação noturna (cerca de 4 vezes). Nega hematoquezia. Diabético de base e tabagista 88 maços/ano. Nega história familiar de CCR. Fez tomografia de abdome e pelve que se evidencio espessamento parietal irregular no reto médio/superior, associado a múltiplas linfonodomegalias com realce heterogêneo pelo contraste; múltiplos implantes secundários hepáticos e litíase renal bilateral. Colonoscopia até o reto a cerca de 10cm da borda anal, com lesão endurecida, ulcero‐vegetante, infiltrativa, circunferencial e obstrutiva. Ocupando 90% da luz do órgão, cuja biópsia evidenciou adenocarcinoma moderadamente diferenciado. Tendo em vista o descrito tem‐se o diagnóstico de adenocarcinoma de reto médio metastático e estadiamento clínico provável T3N1M1a. Optado por incluir na investigação a pesquisa de biomarcadores moleculares. Neste estudo não foram detectadas mutações nos códons 12, 13 e 61 do gene KRAS; ausência de mutações p.Gin61Arg, p.Gin61Lys e p.Gin61Leu no códon 61 e ausência de mutações p.Gin12Cys e p.gin12Asp no códon 12 do gene NRAS.

Discussão e Conclusão(ões): Biomarcadores moleculares têm um futuro promissor no diagnóstico, prognóstico e desenvolvimento de terapia personalizada para CCR metastático. A necessidade de identificar diferentes biomarcadores está aumentando rapidamente, pois outras mutações podem oferecer possibilidade de intervenção terapêutica com novos medicamentos direcionados. Apenas cerca de metade dos pacientes com metástase se beneficiam da terapia anti‐EGFR, e isso é parcialmente baseado na presença da mutação KRAS, que confere resistência à terapia anti‐EGFR. Portanto, precisamos de mais biomarcadores preditivos para prever a resposta à terapia biológica, visando individualizar o tratamento, em particular para a terapia biológica. Em nosso estudo observamos que, embora a análise dos marcadores não tenha demonstrado mutações, o paciente em questão se beneficiou visto que elas direcionam, de forma mais precisa, a terapêutica a ser utilizada.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools