Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 164 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 164 (October 2017)
P‐213
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.214
Open Access
NEURITE LÚPICA INTESTINAL: RELATO DE CASO
Visits
...
Eduardo Rosetti Filho, Julyanna Cruz França, Eduardo Rosetti, Martha Cruz Sperandio, Joubert Almeida Esteves, Carlos Alberto de Castro Fagundes, Lorena Auer
Hospital Metropolitano, Serra, ES, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: As manifestações gastrointestinais relacionadas ao lúpus eritematoso sistêmico (LES) são: a vasculite mesentérica (causa mais comum), seguida pela enteropatia perdedora de proteína, pseudo‐obstrução intestinal (Cipo), pancreatite aguda e outras complicações mais raras.

Relato do caso: R.R.N., 17 anos, 54kg, feminino, admitida no pronto‐socorro com distensão abdominal e parada de eliminação de gases e fezes havia três dias, adinamia, mialgia e sensação febril. Exames de imagem com níveis hidroáereos de intestino delgado e grande quantidade de fezes em fossa ilíaca direita. HD: abdômen agudo obstrutivo. HPP: constipada crônica (1x/semana) e lesões aftoides recorrentes em mucosa jugal e introito vaginal. Submetida a laparotomia exploradora com volumoso fecaloma em cólon direito e dilatação a montante sem outras lesões. Feita colectomia direita. Evoluiu com ileo adinâmico prolongado e paresia gástrica por aproximadamente 15 dias e febre persistente. Sorologias infecciosas negativas. Fator antinuclear reativo; FAN>1/1280; anti‐RO>240; anti‐LA>320. Histologia: inflamação inespecífica que comprometia plexos nervosos de intestino grosso, delgado e apêndice cecal. Iniciada corticoterapia em dose imunossupressora com melhoria do quadro e alta hospitalar. Segue em acompanhamento ambulatorial com imunossupressor oral e função intestinal uma vez a cada dois dias.

Discussão: A Cipo é uma síndrome causada por um defeito no processo de propulsão intestinal sem que exista lesão oclusiva do lúmen, pode ser causada por disfunção da musculatura visceral ou do sistema nervoso entérico. Pode aparecer no curso do LES ou como manifestação inicial. O tratamento, geralmente, é clínico, com o tratamento da doença de base por meio do uso de imunossupressores e procinéticos. O tratamento cirúrgico é reservado para o caso de complicações.

Conclusão: Constipação grave recente ou pioria de quadro prévio refratário às medidas clínicas e sem fator identificável deve levantar a suspeição, principalmente em mulheres jovens, de doenças autoimunes com acometimento intestinal como o LES.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools