Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 110-111 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 110-111 (October 2017)
P‐087
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.088
Open Access
NÍVEIS ADEQUADOS DE INFLIXIMABE ASSOCIARAM‐SE À MELHORIA NA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES COM DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL: DADOS DE VIDA REAL
Visits
...
Marley Ribeiro Feitosaa, Rogério Serafim Parraa, Lais de Abreu Castrob, Karina Kendra Mar Marquesa, Barbara Bianca Linhares Motaa, José Joaquim Ribeiro da Rochaa, Omar Féresa
a Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), Universidade de São Paulo (USP), Ribeirão Preto, SP, Brasil
b ProctoGastroClínica, Ribeirão Preto, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: Níveis adequados de infliximabe (IFX) estão associados a remissão clínica e endoscópica (cicatrização de mucosas) em pacientes com doença inflamatória intestinal (DII). Poucos estudos correlacionaram níveis séricos e qualidade de vida.

Objetivo: Estudar a associação entre nível sérico de IFX e qualidade de vida em pacientes com DII, em regime de manutenção com IFX.

Métodos: Coorte prospectivo de pacientes com DII em regime de manutenção com IFX. Os níveis séricos de IFX foram determinados por teste rápido. Para avaliação da atividade clínica foram usados o índice de Harvey‐Bradshaw (HBI) para doença de Crohn (DC) e o escore Mayo (parcial/total) na retocolite ulcerativa (RCU). Para avaliação de cicatrização de mucosas, foi usado o escore endoscópico simples (SES‐CD) para pacientes com DC e o Mayo endoscópico em pacientes com RCU. Para avaliar a qualidade de vida foi usado o IBDQ. O estudo foi aprovado pelo comitê de ética em pesquisa e todos os pacientes assinaram o termo de consentimento livre e informado.

Resultados: Foram incluídos na análise 71 pacientes. Níveis séricos de IFX foram considerados como satisfatórios (≥ 3μg/mL) em 28 pacientes (39,4%) e insatisfatórios (< 3μg/mL) em 43 (60,5%). Níveis satisfatórios foram associados a maiores taxas de remissão clínica (85,7% x 27,9%, p<0,001) e cicatrização de mucosas (85,7% x 18,6%, p<0,001). Níveis de IFX ≥ 3μg/mL foram também associados a melhores índices de IBDQ global (183±32 x 161±28, p=0,006), melhoria dos sintomas intestinais (59,6±9,3 x 52,3±8,5, p=0,001), da função sistêmica (27,3±5,6 x 22,7±5,2, p=0,001) e da função social (30,8±5,7 x 26,7±7,4, p=0,015).

Conclusões: Níveis satisfatórios de IFX associaram‐se a maiores taxas de remissão clínica, cicatrização de mucosas e melhoria na qualidade de vida em pacientes com DII em regime de manutenção com IFX.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools