Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 195-196 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 195-196 (November 2019)
360
Open Access
Perfil clínico e epidemiológico de pacientes com doença inflamatória intestinal no ambulatório de coloproctologia do hospital universitário são francisco na providência de deus
Visits
...
B.A.J. Costa, L.S. Leme, R.V. Beust, R.M. Siqueira, I.G. Carpanetti, D.C. Silva, C.A.R. Martinez
Hospital Universitário São Francisco de Assis (HUSF), Bragança Paulista, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças Inflamatórias Intestinais

Categoria: Pesquisa básica

Forma de Apresentação: Tema Livre (apresentação oral)

Objetivo(s): Existem poucos trabalhos na literatura mostrando o perfil do paciente com Doença Inflamatória Intestinal em regiões específicas. No presente trabalho, é realizado o levantamento do perfil clínico e epidemiológico de pacientes com doença inflamatória intestinal no Ambulatório de Coloproctologia do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus, da cidade de Bragança Paulista/SP e região.

Método: Foi realizado um estudo transversal, unicêntrico, com portadores de Doença de Crohn (DC) e Retocolite Ulcerativa (RCUI) em acompanhamento no Ambulatório de Coloproctologia do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus. Foram levantadas informações quanto a idade, idade ao diagnóstico, tempo para o diagnóstico, gênero, etnia, tabagismo, classificação de montreal, manifestações intestinais iniciais, manifestações extra‐intestinais iniciais, doenças auto‐imunes associados, colonoscopia, câncer intestinal, tratamento inicial, tratamento atual, complicações do tratamento e tratamento cirúrgico. Para levantamento dos dados foi utilizado o prontuário hospitalar para obter história clínica, coleta de exames, medicações e comorbidades. O presente estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus. Em uma etapa final, será traçado o perfil clínico‐epidemiológico desses pacientes.

Resultados: O estudo inclui 65pacientes, nos quais 53,8% tem o diagnóstico de Doença de Crohn (DC) e 46,1%, RCUI. Foi aplicada a classificação de Montreal. Na DC, quanto a idade A1 (8,5%), A2 (65,7%), A3 (17,1%); quanto a localização L1 (34,2%), L2 (14,2%), L3 (34,2%), L4 (2,8%); quanto ao comportamento, B1 (25,7%), B2 (51,4%), B3 (8,5%), P (28,5%). Na RCUI, quanto a extensão, E1 (13,3%), E2 (36,6%), E3 (40%). São do sexo masculino 52% e 47% femininos. Entre eles, 87% de etnia branca, 6% pardos, e 6% negros. A média da idade é 42anos e a idade média ao diagnóstico é 35 anos. No levantamento, o tempo entre o início dos sintomas e o diagnóstico foi, em média, de 2 anos. Fizeram ou fazem uso do tabaco por período prolongado 23% dos pacientes. Tem histórico de câncer na família 26% e DII na família 10,7% dos casos. Como doenças autoimunes de base, foram identificados 6% com diabetes, 3% com tireoidite, 3% com hipotireoidismo, 1,5% com vitiligo, 1,5% com psoríase. A média de internação em 1 ano, é menor do que 1 (0,7). Passaram por algum procedimento cirúrgico, 54,2% dos casos com DC, sendo a média de pouco mais de 4 anos da doença. Na RCUI, 16,6% dos casos, sendo o tempo médio pouco mais de 2anos. Foram submetidos a apendicectomia prévia, 5,7% dos casos com DC.

Conclusão(ões): Os dados epidemiológicos levantados sobre os pacientes foram compatíveis com a literatura nacional e internacional. O perfil mais comum é o sexo feminino, na faixa etária de 44 anos, caucasiano, com tempo entre as queixas e o diagnóstico de cerca de 3anos. Em relação a Classificação de Montreal, o perfil mais comum em DC é A2 L1 B1, e RCUI, E3.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools