Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 202 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 202 (November 2019)
675
Open Access
Perfil das ultrassonografias anorretais realizadas em um serviço de residência médica em coloproctologia ‐ campinas – sp
Visits
...
D.A. Chiumento, T.Z.M. Bandeira, G.D.D.A. Ribeiro, M.I. Rabello, G. Sevá‐Pereira, J.J. Oliveira‐Filho, P.B. Tarabay
Hospital Municipal Dr. Mário Gatti, Campinas, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças do assoalho pélvico/Fisiologia Intestinal e Anorretocólica

Categoria: Pesquisa básica

Forma de Apresentação: Tema Livre (apresentação oral)

Objetivo(s): Descrever a importância da ultrassonografia anorretal como método diagnóstico auxiliar nas doenças anorretais, em especial no auxílio do planejamento cirúrgico.

Método: Trabalho retrospectivo realizado entre janeiro de 2018 a julho de 2019 em um serviço de Coloproctologia de Campinas – SP. Foi realizada uma análise da indicação e avaliação dos resultados dos exames de ultrassonografia anorretal do Serviço no período. Ultrassonografia anorretal foi realizada pelo mesmo Coloproctologista com um aparelho 2D, estando o paciente em decúbito lateral esquerdo e preparo intestinal (Fleet enema®, 3 horas antes do exame).

Resultados: Em um período de 18meses foram realizados 88exames de ultrassonografia anorretal pelo Serviço de Coloproctologia. Destes 62,5% (55) dos pacientes eram mulheres e 37,5% (33) homens. A média de idade dos pacientes foi de 51 anos (15‐81) e as indicações para realização do exame foram: incontinência fecal (IF), fístula anorretal, constipação, Doença de Crohn perianal (DCp), dor anal, neoplasia, abscesso anorretal, pré‐operatório de reconstrução intestinal, endometriose intestinal e prolapso anorretal. 33 pacientes realizaram o exame devido a queixas de fístula anorretal (37,5%), excluindo os pacientes com DCp (14%). A média de idade dos pacientes com fístula foi de 46 anos (31‐67), 20 (61%) eram mulheres e 13 (39%) eram homens. Desses pacientes, 54% (18) apresentaram fístula complexa ao exame de imagem. A média de idade de pacientes com IF foi de 57 anos (32 – 75). 95% (17) dos pacientes eram do sexo feminino e 1 paciente com queixa de IF, do sexo masculino. Desses, 45% (8) pacientes apresentaram lesões detectáveis ao método, sendo essas lesões esfincterianas ou de assoalho pélvico. 50% dos pacientes apresentavam alguma lesão esfincteriana: 28% (5) lesão de esfíncter anal externo, 22% (4) lesão de esfíncter anal interno e 22% (4) lesão do músculo pubovisceral.

Conclusão(ões): A ultrassonografia anorretal tem sido amplamente utilizada para diagnóstico e caracterização das afecções anorretais. É um exame bem tolerado pelo paciente e com alta sensibilidade para identificação de lesões anatômicas. Devido suas características, faz parte do algoritmo de investigação das doenças anorretais.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools