Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 173-174 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 173-174 (November 2019)
528
Open Access
Perfil epidemiológico e funcional dos pacientes com doenças anorretais
Visits
...
B. Bazzanoa, G.S. Guzzia, D.T.K.S. Almeidaa, G. Kurachib, U.E. Sagaeb, M. Tomiyoshia, D.M.R. Limab
a Centro Universitário Fundação Assis Gurgacz (FAG), Cascavel, PR, Brasil
b Gastroclínica Cascavel, Cascavel, RS, Brasil
Article information
Full Text

Área Doenças Anorretais Benignas

Categoria Pesquisa básica

Forma de Apresentação: Tema Livre (apresentação oral)

Objetivo(s) Avaliar a capacidade e sensibilidade retal manométricas em pacientes com doenças anorretais.

Método Trata‐se de um estudo retrospectivo com análise prospectiva dos dados englobando pacientes, com média de idade de 50,76 anos com queixas de incontinência que levaram ao ambulatório de coloproctologia do Hospital São Lucas de Cascavel entre janeiro de 2017 a março de 2019.

Método Foram incluídos 230 pacientes com sintomas de incontinência, constipação, retocele, megacólon que foram submetidos a eletromanometria ano. Foram excluídos 5 pacientes por faltar dados manométricos. O exame foi realizado por dois coloproctologistas por um aparelho Alacer de 8 canais com perfusão continua de água de oito canais. Não foi realizado toque retal e nem preparo intestinal prévio. Os pacientes foram submetidos a eletromanometria anorretal. Foram avaliadas também: Idade, sexo, capacidade retal, sensibilidade retal e o número de partos vaginais.

Resultados Duzentos e trinta pacientes, dentre eles 60 homens (26,08%) e 170 mulheres (73,92%), com média de idade de 50,76 anos (variando de 17 a 87). A média da Capacidade retal geral foi de 214,65mL, no grupo das mulheres foi de 210,26mL (variando de 20 a 560mL), sendo as mulheres com partos vaginais, apresentaram média de 213,43mL. No grupo dos homens foi de 229,29mL (variando de 10 a 540mL). A média geral da sensibilidade retal foi de 48,24, no grupo das mulheres foi de 47,73 (variando de 5 a 240), no grupo de homens teve média de 48,87 (variando de 5 a 120). Do grupo onde foi encontrada a capacidade retal diminuída, 70, do total de 88, eram mulheres (15 com partos vaginais), 39 apresentavam sintomas de constipação, 3 com doença inflamatória intestinal e 5 com intestino irritável. Do grupo onde foi encontrada a capacidade retal aumentada, 33 (total 45) eram mulheres (7 com partos vaginais), 22 apresentavam sintomas de constipação, nenhum com doença inflamatória intestinal e 1 com intestino irritável. Do grupo onde foi encontrada a sensibilidade retal diminuída, 10 de 58 pacientes eram mulheres (2 com partos vaginais), 10 apresentavam sintomas de constipação, nenhum apresentou doença inflamatória intestinal e nem intestino irritável. Do grupo onde foi encontrada a sensibilidade retal aumentada (58 no total), 39 eram mulheres (8 com partos vaginais), 12 apresentavam sintomas de constipação, nenhum com doença inflamatória intestinal ou intestino irritável. Das 170 mulheres, do presente estudo, apenas 35 mulheres (15,21%) tiveram partos vaginais, dessas tiveram em média 2,7 filhos (variando de 1 a 8 filhos).

Conclusão(ões) Conclui‐se que a avaliação da capacidade e sensibilidade são parâmetros importantes na avaliação de pacientes submetidos a eletromanometria anorretal.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools