Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 148 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 148 (November 2019)
319
Open Access
Perfil epidemiológico de pacientes submetidos a cirurgia de reconstrução de trânsito intestinal por laparoscopia e laparotomia em hospital secundário de fortaleza
Visits
...
M.R. Costaa, C.C.R. Bezerraa, J.W.F. Gomesa, N.S. Silvaa, D.M.S.D. Silvaa, L.L. Alvesa, A.P.F. Magalhãesa, N.F. Rodriguesb
a Hospital e Maternidade José Martiniano de Alencar (HMJMA), Fortaleza, CE, Brasil
b Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, CE, Brasil
Article information
Full Text

Área: Cirurgia Minimamente Invasiva, Novas técnicas cirúrgicas/Avanços Tecnológicos em Cirurgia Colorretal e Pélvicas e Anorretais

Categoria: Estudo clínico não randomizado

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Esse estudo tem como objetivo estabelecer o perfil epidemiológico de pacientes submetidos ao procedimento de reconstrução de trânsito no serviço de cirurgia geral de hospital secundário de Fortaleza. Outro objetivo é a comparação dos dados obtidos no serviço com os dados relatados na literatura de países desenvolvidos, para observar se as condições sócio econômicas influenciam no perfil de pacientes operados.

Método: Foi realizado um estudo retrospectivo, observacional, unicêntrico, através da revisão dos prontuários dos pacientes submetidos a realização de cirurgias de reconstrução de trânsito para fechamento de ostomias terminais.

Resultados: Na amostra avaliada, vinte e três (79,3%) pacientes eram do sexo masculino e 6 (20,7%) eram do sexo feminino. A idade média foi de 42,48±15,99 anos, com uma incidência bimodal; um pico entre a segunda e terceira década de vida e outro entre a quinta e sexta. Houveram 14 tipos de diagnósticos iniciais reportados na cirurgia que levou a confecção da ostomia. Os mais comuns foram, perfuração por arma fogo (PAF) em 9 (31%) casos, diverticulite em 5 (17,2%) e apendicite em 3 casos (10,3%). Na amostra avaliada, vinte (69%) cirurgias foram iniciadas por laparoscopia e 9 (31%) foram iniciadas por via convencional. quatro cirurgias foram convertidas para via convencional, totalizando uma taxa de conversão de 20%.

Conclusão(ões): Diversos estudos mostram que a idade média dos pacientes submetidos à cirurgia de reconstrução de trânsito está entre a quinta e sexta década de vida. As etiologias mais comuns relatadas nos trabalhos internacionais são diverticulite e neoplasia de cólon. É possível perceber que existe, na amostra, uma diferença epidemiológica quando comparamos os resultados com estudos semelhantes em países desenvolvidos. Pode‐se atribuir este fato à violência urbana e à dificuldade de acesso a serviços de emergência cirúrgica na cidade onde o estudo foi realizado. A literatura mostra que a laparoscopia é uma opção viável para a realização da cirurgia. A taxa de conversão é variável, dependendo do centro. A violência urbana e a dificuldade de acesso aos serviços de emergência cirúrgica parecem influenciar no perfil epidemiológico dos pacientes submetidos à cirurgia de reconstrução intestinal para fechamento de ostomias terminais. Tais diferenças não impedem a realização da cirurgia pela via laparoscópica.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools