Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 35-36 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 35-36 (October 2017)
TL8‐081
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.380
Open Access
Prevalência De Achados Colonoscópicos Em Hospital Universitário Em Colatina, Es
Visits
...
João Carlos Nepomuceno Gonçalves, Ana Cristina Lacerda Macedo, Rafael Angelo Ferreira da Fonseca, Ryan Carlos de Barros Soares, Rizia Kerem Gonçalves Martiniano, Vinicius Rodrigues Caldeira, Juliana Corsino Gonçalves
Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), Criciúma, SC, Brasil
Article information
Full Text

Objetivo: Identificar a prevalência de achados colonoscópicos em um serviço filantrópico no município de Colatina (ES).

Método: Estudo como transversal. O trabalho de campo foi desenvolvido por estudantes e professores do curso de medicina, previamente qualificados, que colheram dados de pacientes submetidos à colonoscopia no hospital universitário de janeiro de 2015 a maio de 2017.

Resultados: Foram analisados 255 laudos. Dentre os examinados, 146 (57,2%) eram mulheres e a idade média foi de 57,25 anos (intervalo de 21 a 86). A principal indicação foi rastreamento de câncer de colorretal em paciente assintomático (33,3%), seguido de acompanhamento de doença coloproctológica previamente diagnosticada (14,1%), alteração do hábito intestinal (14,1%), história de sangramento digestivo baixo (13,0%) e acompanhamento de paciente previamente submetido à cirurgia para câncer colorretal (11%). Quanto ao preparo, 74,9% foram considerados adequados, enquanto em 20,4% foi considerado regular, mas foi possível a feitura do exame. Em 86,2% dos exames o médico chegou ao íleo terminal. Em 156 (61,2%) foram encontradas alterações, em 27% dos casos observou‐se a presença de diverticulose colônica; em 38,4%, a presença de pólipos, seguido de 5,1% de pacientes portadores de colite e/ou proctite; e 2,3% apresentaram lesões sugestivas de câncer colorretal. Dentre os pólipos identificados, 24,5% localizavam‐se em cólon sigmoide e 21,4% em transverso, 63,5% foram classificados como Yamada II, 86,1% com até 1cm de extensão e 5,4% com mais do que 2cm.

Conclusão: O serviço do hospital universitário apresenta frequência de achados nos exames semelhantes à literatura especializada e contribui para a boa assistência médica na região.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools