Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 8 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 8 (October 2017)
TL2‐017
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.316
Open Access
PROCESSAMENTO PATOLÓGICO DO ESPÉCIME DA EXCISÃO TOTAL DO MESORRETO
Visits
...
Benjamin Ramos de Andrade Neto, Lusmar Veras Rodrigues, Felipe Ramos Nogueira, Luciano Monteiro Franco, Luis Bernardo Mendes Varela Moreira, Nathalia Franco Cavalcanti, Ricardo Everton Dias Mont Alverne
Hospital Universitário Walter Cantídio (HUWC), Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, CE, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: O tratamento do câncer retal é multimodal, mas essencialmente cirúrgico, baseado na excisão total do mesorreto (ETM). O exame do espécime cirúrgico tem valor considerável na avaliação da técnica operatória usada, é um bom parâmetro para basear o prognóstico oncológico.

Objetivo: Demonstrar o método de análise patológica do espécime do mesorreto e a graduação do mesorreto pós‐neoadjuvância.

Material e métodos: A avaliação e o processamento do espécime iniciam com o recebimento do espécime fresco, idealmente sem abertura. O comprimento e o diâmetro do reto são registrados, assim como o comprimento do mesossigmoide. A superfície externa da ETM deve ser graduada entre completa, próxima a completa ou incompleta. Fotografias são feitas antes e, se necessário, após fixação. Foram incluídos na avaliação descritiva do mesorreto os termos baseados no plano de dissecção, plano mesorretal, intramesorretal ou da muscular própria. A margem radial do espécime TME é tingida de azul ou preto. As margens grampeadas proximais e distais são seccionadas. O espécime é aberto longitudinalmente, inicia‐ser pela borda proximal ao longo da porção anterior até 2cm acima do tumor. A documentação inclui a distância para as margens proximal e distal. O tamanho do tumor é medido no plano cefalocaudal e circunferencial. O espécime é colocado na formalina totalmente submerso. Após isso é seccionado transversalmente em fatias que se iniciam pela porção distal e é fotografado. São fotografadas as fatias, com fotografias individuais quando necessário. A integridade do mesorreto é reavaliada após a secção. Fatias transversais são examinadas para documentar a margem circunferencial, áreas suspeitas para invasão angiolinfática ou perineural, linfonodos e outros achados patológicos pertinentes.

Resultado: Espécimes de excisão total do mesorreto com registro fotográfico do processamento patológico exemplificam as graduações do mesorreto.

Conclusão: O método é factível com recursos simples e usuais para definir a qualidade do mesorreto.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools