Journal Information
Vol. 38. Issue S1.
Pages 172-173 (October 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 38. Issue S1.
Pages 172-173 (October 2018)
VL18
DOI: 10.1016/j.jcol.2018.08.370
Open Access
PROCTOCOLECTOMIA TOTAL COM BOLSA ILEAL EM J LAPAROSCÓPICA PARA TRATAMENTO DE POLIPOSE ADENOMATOSA FAMILIAR
Visits
...
Rafael Vaz Pandini, Fabio Guilherme Caserta Marysael de Campos, Rodrigo Ambar Pinto, Cintia Mayumi Sakurai Kimura, Sergio Carlos Nahas, Ivan Ceconello
Hospital das Clínicas (HC), Faculdade de Medicina (FM), Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Resumo: A polipose adenomatosa familiar é uma doença autossômica dominante caracterizada pela presença decentenas de pólipos adenomatosos no cólon, os quais podem evoluir para malignização ao longo dos anos. O tratamento definitivo para pacientes com essa condição é a colectomia total ou proctocolectomia total, a depender da quantidade de pólipos no reto.

Objetivo: Demonstrar a proctocolectomia total com bolsa ileal com reservatório em J para o tratamento de polipose adenomatosa familiar.

Métodos: Paciente T.S.C., 29 anos, com polipose adenomatosa familiar desde 2010, após falecimento da mãe, tio materno e irmãos foram diagnosticados com a mesma patologia. Foi encaminhado para o nosso serviço há 2 anos, com diarreia nos últimos 6 meses, com sangue e perda de 5kg. Possuía colonoscopia que mostrava múltiplos pólipos sésseis e pediculados desde a linha pectínea até o ceco, sem aspecto de neoplasia maligna. O paciente foi submetido à proctocolectomia total com bolsa ileal em J e ileostomia de proteção videolaparoscópica. Inicia‐se o procedimento com identificação e ligadura da a. e v. ileocólica, seguindo‐se com dissecção do mesocólon direito, liberando‐o do retroperitônio, descolamento parietocólico à D e abertura do intercólon epiplóico, liberando também o cólon transverso. São identificadas a. e v. cólica média, as quais são ligadas. Após, mobiliza‐se o ângulo de Treitz, para identificação e ligadura da v. mesentérica inferior. O mesocólon esquerdo é dissecado, sendo liberado do retroperitônio e termina‐se o descolamento do intercólon epiplóico, liberando também o ângulo espênico. Em seguida, identifica‐se e liga‐se a a. mesentérica inferior. Libera‐se a goteira parietocólica esquerda, em seguida partindo para a dissecção do reto até o plano dos mm. Elevadores. Realizado grampeamento do reto com grampeador laparoscópico articulado. Realiza‐se uma incisão de Pfannenstiel, por onde se exterioriza o cólon e é realizado o grampeamento do íleo terminal, retirando‐se a peça. É confeccionada então uma bolsa ileal em J. Em seguida, fecha‐se a incisão e a anastomose é realizada sob visão laparoscópica e é exteriorizada uma ileostomia em alça de proteção.

Resultados: O paciente teve boa evolução, recebendo alta no 9° pós‐operatório. O resultado anatomopatológico da peça mostrou múltiplos adenomas com displasia de baixo e alto grau.

Conclusão: A proctocolectomia total com reservatório ileal em J por via laparoscópica é factível e apresenta bons resultados.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools