Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 159-160 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 159-160 (November 2019)
464
Open Access
Qualidade da colonoscopia em um serviço de ensino em coloproctologia
Visits
...
J.C.A. Silva, A.C. Moreira, M.M. Ribeiro, B.R.D.A. Junior, M.M. de Sousa, B.W.M. Silveira, D.D.C. Sampaio, L.B.O. Batista
Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza, Fortaleza, CE, Brasil
Article information
Full Text

Área: Métodos complementares diagnóstico e terapêutica

Categoria: Pesquisa básica

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): O objetivo deste trabalho é analisar a porcentagem de três indicadores, a Qualidade do Preparo Intestinal (QPI), a Taxa de Intubação do Ceco (TIC) e Taxa de Detecção de Pólipos (TDP), em um serviço de ensino para médicos residentes em coloproctologia.

Método: Foram analisados retrospectivamente, em um estudo transversal com análise simples proporcional dos dados de laudos de 746 colonoscopias realizadas durante um ano no período de junho de 2018 a junho de 2019.

Resultados: A QPI foi de 88,61% de exames com um preparo intestinal avaliado como ótimo ou bom. Em 4,29%, considerou‐se como péssimo. A TIC foi de 97,65% das colonoscopias, excluindo os exames de retossigmoidoscopia, pacientes submetidos a colectomia direita, presença de estenoses ou lesões e preparos inadequados. Em 160 pacientes foram identificados pólipos, com um TDP de 21,45%. A colonoscopia é amplamente utilizada para o diagnóstico e tratamento de distúrbios do cólon. Sua qualidade pode ser avaliada por parâmetros que sugiram uma adequada visualização da mucosa colônica como um bom preparo intestinal, a identificação de estruturas anatômicas através da válvula ileocecal e a identificação de pólipos colônicos. Um preparo inadequado afeta a integridade do exame, a duração do procedimento e a necessidade de cancelar ou repetir o procedimento. A qualidade do preparo intestinal baseia‐se na capacidade de visualizar a mucosa após as fezes retidas e o líquido ter sido removido por sucção. Em 88,61%, o preparo foi classificado com excelente ou bom. Uma taxa adequada conforme a meta estimada pela ACG e ASGE, que definem como ideal um taxa menor que 15% de preparos inadequados, classificados com regular ou péssimo. A intubação do ceco é definida como a ultrapassagem da válvula ileocecal, identificação do óstio apendicular e exame da parede entre ele e a válvula. Identificamos a intubação cecal em 97,65% dos laudos estudados, excluindo as retossigmoidoscopia, pós‐colectomia direita, preparos inadequados e presença de estenoses ou lesões. Uma taxa acima da recomendada pela ACG e ASGE, maior que 95%. Indicando mais um parâmetro de boa qualidade do serviço. Por último, analisamos a TDP, a qual foi de 21,45% de todas as colonoscopias realizadas. Também um índice ideal, acima do recomendado pela literatura, maior que 15%. Uma TDP dentro dos parâmetros recomendados infere exame minucioso da mucosa e menor risco de lesões não detectadas.

Conclusão(ões): Ao analisarmos três importantes parâmetros de qualidade de um serviço de colonoscopia, concluímos que o centro de ensino para residentes de coloproctologia estudado está acima do ideal recomendado pela literatura. A adoção de índices de qualidade de um serviço médico é necessário e deve ser realizado constantemente afim de obter melhorias para a prestação de um adequado atendimento.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools