Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 48 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 48 (October 2017)
TL11‐111
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.410
Open Access
REDUÇÃO DE TAXA DE INFECÇÃO DE SÍTIO CIRÚRGICO NA REVERSÃO DE ILEOSTOMIA COM USO DE FECHAMENTO CUTÂNEO EM BOLSA
Visits
...
Diego Fernandes Maia Soaresa, Cintia Mayumi Sakurai Kimurab, Rodrigo Ambar Pintob, Caio Sergio Rizkallah Nahasa, Sergio Carlos Nahasb, Ulysses Ribeiro Juniora, Ivan Cecconellob
a Instituto do Câncer do Estado São Paulo Octavio Frias de Oliveira (Icesp), Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo (HC‐FM‐USP), São Paulo, SP, Brasil
b Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo (HC‐FM‐USP), São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A morbidade decorrente da reversão da derivação intestinal através de ileostomia em alça não é desprezível, a suboclusão intestinal, a infecção de ferida operatória e a deiscência de anastomose são as complicações mais frequentes.

Objetivo: Avaliar se o fechamento cutâneo com sutura em bolsa diminui as taxas de infecção de sítio cirúrgico quando comparados com fechamento linear primário.

Método: Estudo retrospectivo em um único centro de julho de 2015 a março de 2017. Analisados pacientes com diagnóstico de câncer colorretal, submetidos a ressecção do tumor primário com derivação intestinal temporária com ileostomia em alça e que posteriormente foram submetidos a reversão da derivação intestinal. Os pacientes foram divididos em dois grupos (grupo fechamento linear e grupo fechamento em bolsa). Foram avaliadas as complicações pós‐operatórias de infecção de ferida de sítio cirúrgico e investigados os possíveis fatores de risco para esta complicação.

Resultados: Foram avaliados 122 pacientes. O fechamento linear foi feito em 69 e em 53 foi feito fechamento com sutura em bolsa. A infecção de sítio cirúrgico ocorreu em 6,5% (8/122). No grupo do fechamento linear a taxa de infecção foi de 13,5% (8/59), o tempo cirúrgico médio foi de 83min, o tempo de internação hospitalar foi de 9,43 dias (4‐66) e o intervalo médio entre as cirurgias foi de 65,72 semanas. No grupo de fechamento em bolsa não ocorreu caso de infecção, o tempo médio de cirurgia foi de 107min, o tempo de internação foi de 8,24 dias e o intervalo médio entre as cirurgias foi de 61,87 semanas.

Conclusão: O fechamento em sutura em bolsa diminuiu a taxa de infecção de sítio cirúrgico em pacientes submetidos a fechamento de ileostomia.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools