Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 3 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 3 (October 2017)
TL1‐006
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.305
Open Access
RELAÇÃO ENTRE A RAZÃO DE LINFONODOS COMPROMETIDOS, VARIÁVEIS ANATOMOPATOLÓGICAS E CLÍNICAS EM PORTADORES DE CÂNCER DE RETO SUBMETIDOS OU NÃO A TRATAMENTO NEOADJUVANTE
Visits
...
Laura Credidio, Carlos Augusto Real Martinez, Felipe Osório Costa, Daniéla Oliveira Magro, Rita Barbosa Carvalho, Maria de Lourdes Setsuko Ayrizono, Claudio Saddy Rodrigues Coy
Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP, Brasil
Article information
Full Text

Objetivo: Avaliar a relação entre a razão de linfonodos acometidos (RLA) e variáveis clínicas e anatomopatológicas em portadores de adenocarcinoma de reto submetidos ou não à quimiorradioterapia neoadjuvante (QRT).

Método: A RLA foi determinada pela divisão do número total de linfonodos dissecados no espécime cirúrgico pelo número de comprometidos. Os doentes foram divididos em dois grupos: com QRT e sem QRT. Em cada grupo foi avaliada a relação entre a RLA e as seguintes variáveis: grau de diferenciação celular, profundidade de invasão na parede retal, invasão angiolinfática/perineural, grau de regressão tumoral e ocorrência de metástases. Avaliou‐se a RLA em pacientes com mais do que 12 linfonodos (RLA>12) ou menos (RLA<12) na peça cirúrgica com a sobrevida global (SG) e sobrevida livre de doença (SLD). Os resultados foram expressos pela média com o respectivo desvio‐padrão. As variáveis qualitativas foram analisadas com o teste exato de Fisher, enquanto as quantitativas pelos testes de Kruskal‐Wallis e Mann‐Whitney. O nível de significância foi de 5%.

Resultados: Foram avaliados 282 pacientes com QRT e 114 sem QRT, entre 1995‐2011. No Grupo QRT, RLA mostrou associação significativa com os tumores mucinosos (p=0,007) e grau de regressão tumoral (p=0,003). Nos dois grupos, a RLA associou‐se com tumores pouco diferenciados (p=0,001 E p=0,02), presença de invasão angiolinfática (p<0,0001 E p=0,01), perineural (p 0,0007 E p=0,02), grau de invasão da parede retal (T3>T2; p<0,0001 E p=0,02); linfonodos comprometidos (p<0,0001 E p<0,01), metástases (p<0,0001 E p<0,01). Nos pacientes com QRT, a RLA<12 associou‐se com a SLD (5,889; IC95% 1,935‐19,687; p=0,018) e a RLA>12 com SLD e SG (17,984; IC95% 5,931‐54,351; p<0,001 e 10,286; IC95% 2,654‐39,854; p=0,007, respectivamente).

Conclusão: A RLA associou‐se a aspectos histológicos de mau prognóstico, independentemente do emprego de QRT. Na ocorrência de menos de 12 linfonodos avaliados, a RLA associou‐se apenas com a SLD.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools