Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 60 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 60 (November 2019)
359
Open Access
Relato de caso: schwannoma de reto
Visits
...
B.A.J. Costa, L.S. Leme, R.V. Beust, R.M. Siqueira, I.G. Carpanetti, E.K. Goto, D.T. Kanno, C.A.R. Martinez
Hospital Universitário São Francisco de Assis (HUSF), Bragança Paulista, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças malignas e pré‐malignas dos cólons, reto e ânus

Categoria: Relatos de caso

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Embora tenha características próprias que sugerem o diagnóstico, o Schwannoma é um tipo tumoral não muito encontrado na prática clínica, que requer conhecimento sobre a patologia para que se indique a conduta adequada. O objetivo do relato é a descrição de um caso e o desfecho quanto a conduta realizada pela equipe da Coloproctologia do Hospital Universitário São Francisco na Providência de Deus.

Descrição do caso: M.O., 49 anos, sexo feminino, encaminhada de um serviço primário de saúde devido lesão em reto. Refere como queixas dor abdominal em região inferior, alteração do hábito intestinal, com episódios de constipação e diarreia, um episódio de hematoquezia em pequena quantidade, afilamento das fezes e tenesmo, no período de um ano. Refere perda ponderal de 3kg em 1 mês. Foi submetida a tireoidectomia total há 13 anos, afirma ser devido doença benigna. Ao exame físico, múltiplas lesões nodulares na pele, mais evidentes em face, tronco, membros superiores e membros inferiores. Sem achados significativos à propedêutica abdominal. Ao exame proctológico, lesão não tocável e não visualizada pela anuscopia. Foi realizada colonoscopia, exame em ótimo preparo e completo, no qual foi visualizado em reto, a 15da linha pectínea, estendendo‐se por 3cm proximalmente, e ocupando 50% da luz do órgão, lesão abaulada, ovalada, recoberta por mucosa com edema e hiperemia, na qual foi realizada biópsia. No anatomopatológico, presença de células caliciformes, mostrando no córion proliferação de células alongadas ou fusiformes, com núcleos ovalados e citoplasma eosinofílico, dispostas em múltiplas direções, formando feixes celulares que se entrecruzam. Há baixo índice mitótico e ausência de atipias celulares. Feito estudo imuno‐histoquímico, no qual foi identificada positividade nos anticorpos S100 e SOX 10, o que favorece o diagnóstico de Hamartoma de Células de Schwann. Na RNM de pelve, formação expansiva e infiltrativa, caracterizada por espessamento parietal semicircunferencial do reto superior, com margem inferior a 12cm da margem anocutânea. Há comprometimento da mucosa e submucosa. A lesão tem crescimento intraluminal, determinando estenose local parcial. Foram realizados outros exames adjuvantes, como TC de tórax e abdome, com evidência de espessamento em reto proximal. EDA, com esofagite erosiva (grau B de Los Angeles) e presença de hérnia hiatal. Foi indicado procedimento cirúrgico pela equipe da Coloproctologia do HUSF, com Retossigmoidectomia e Ressecção do hamartoma por via convencional.

Discussão e Conclusão(ões): Os schwannomas do trato gastrointestinal (TGI) são tumores estromais de células fusiformes originados das células de Schwann e representam uma entidade muito rara, sendo responsável por aproximadamente 2 a 6% de todos os tumores mesenquimais. O procedimento cirúrgico é o tratamento preconizado, sendo indicada ressecção com margens amplas para minimizar recidivas.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools