Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 122 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 122 (November 2019)
489
Open Access
Relato de caso: trombose aguda de veia porta sintomática em pós-operatório de paciente com doença de crohn
Visits
...
P.A.E. Silva, M.G. Teixeira, R.V. Filho, P.V. Martins, A.S. Russo, B.R. Altoé, D.T.D. Alencar
A Beneficência Portuguesa de São Paulo (BP), São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças Inflamatórias Intestinais

Categoria: Relatos de caso

Forma de Apresentação: Pôster

Introdução: Complicações vasculares como tromboembolismo arterial e venoso durante o curso da Doença Inflamatória Intestinal (DII) são relatadas e, de acordo com um estudo da Clínca Mayo, complicações tromboembólicas se desenvolveram em 1,3% dos pacientes com DII, com uma taxa de mortalidade de 50%. A prevalência de trombose da veia porta em DII é de 0,17%.

Objetivo: Relatar caso de trombose aguda de veia porta, sintomática, em paciente portador de Doença de Crohn (DC) em pós-operatório (PO) de Ileocolectomia.

Descrição do caso: Paciente do sexo masculino, 36 anos, portador de DC desde 2004 com tratamento clínico irregular, em uso de Adalimumabe há um ano, já havia feito uso de mesalazina e corticoide, mantendo sintomas de dor abdominal e diarreia. Em 2018 diagnosticado por colonoscopia e enteroressonância com estenose de válvula ileocecal, fístulas entero-entéricas e entero-retal. Submetido à ileocolectomia direita, rafia de reto e colostomia em alça de sigmoide. Recebeu alta no 7° dia de PO, assintomático. No 9° dia de PO evoluiu com irritação peritoneal, distensão abdominal, náuseas e febre. Em tomografia computadorizada de abdome e pelve com contraste venoso foi evidenciada presença de moderada quantidade de liquido livre em cavidade abdominal e trombose parcial de ramos direito e esquerdo de veia porta. Devido piora do quadro clínico do paciente, foi realizado laparotomia exploradora, sendo identificado liquido ascítico em grande quantidade na cavidade abdominal e anastomose íleo-transverso íntegra, sem outras alterações. Paciente evoluiu bem no PO, tornou-se assintomático após anticoagulação sistêmica e se recuperou sem intercorrências. Recebeu alta no 7° dia de PO, com rivaroxabana por seis meses.

Discussão e Conclusão(ões): Nosso caso sugere que, apesar de a trombose da veia porta ser um evento já reconhecidamente associado à DII, deve-se atentar para quadros agudos que podem apresentar sintomatologia muitas vezes semelhante às manifestações esperadas da DII, o que pode atrasar o diagnóstico e o tratamento adequado.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools