Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 147 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 147 (October 2017)
P‐171
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.172
Open Access
RELATO DE CASO DE PACIENTE COM SÍNDROME DE PEUTZ‐JEGHERS
Visits
...
Vitor Rafael Pastroa, Ronaldo Nonosea, Michel Gerdene Camargob, Danilo Toshio Kannoa, Denise Graffitti D’Avilaa, Paula Cristina Steffen Novellia, Carlos Augusto Real Martineza
a Hospital Universitário São Francisco (HUSF), Bragança Paulista, SP, Brasil
b Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A síndrome de Peutz‐Jeghers (SPJ) é uma síndrome autossômica, dominante, rara, caracterizada pela presença de pólipos hamartomatosos gastrointestinais associados a manchas hiperpigmentadas que comprometem principalmente a mucosa oral, as palmas das mãos e as plantas dos pés. Em 66% a 94% dos casos a mutação relacionada a SPJ ocorre no gene STK11/LKB1 localizado no braço curto do cromossomo 19 (19p13.3). A enfermidade está relacionada ao aumento do risco de câncer colorretal, mama, intestino delgado, gástrico e pancreático. O diagnóstico da SPJ define‐se pela presença de hamartomas associados a dois dos três seguintes sinais: manchas pigmentadas mucocutâneas, polipose ou história familiar para SPJ clínico. Por ser uma patologia rara, ainda não está bem definida uma rotina de seguimento desses doentes e cada caso deve ser particularizado e seguido conforme a disponibilidade de recursos do serviço responsável.

Relato do caso: Mulher, 18 anos admitida no pronto‐socorre com quadro de abdômen agudo obstrutivo, além de manchas escurecidas localizadas em região perioral, palmas das mãos e plantas dos pés. A tomografia de abdômen e pelve apresentava imagem sugestiva de intussuscepção íleo‐ileal. Submetida a laparotomia exploradora que confirmou a intussuscepção, foi feita enterectomia segmentar com anastomose primária. No segmento pós‐operatório os exames complementares, inclusive enteroscopia, confirmaram a presença de pólipos de deligado, foram feitas polipectomias de dois pólipos com 2cm e 3cm.

Conclusão: Apesar de ser uma enfermidade raramente descrita, o diagnóstico de SPJ deve ser sempre considerado em doentes jovens que apresentam associação de melanoses mucocutâneas e obstrução intestinal por invaginação íleo‐ileal.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools