Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 173 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 173 (November 2019)
527
Open Access
Relevância clínica da genotipagem para hpv no rastreamento do câncer de ânus precoce
Visits
...
C.M.S. Kimura, E.V. da Silva Filho, V.L. Ribeiro, C.S.R. Nahas, S.C. Nahas, I. Cecconello
Hospital das Clínicas (HC), Faculdade de Medicina (FM), Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área Doenças Infecciosas

Categoria Estudo clínico não randomizado

Forma de Apresentação Tema Livre (apresentação oral)

Objetivo(s) O objetivo do estudo é avaliar se a identificação de genótipos de HPV de alto risco podem aumentar a sensibilidade do rastreamento para lesões precursoras de câncer de ânus.

Método um estudo prospectivo foi realizado com 282 pacientes inscritos em um programa de rastreamento para câncer anal. Um esfregaço anal foi coletado com escova específica e a amostra foi submetida à análise citológica e genotipagem. Imediatamente após, os pacientes foram submetidos à ARS. Se alguma lesão foi observada, ela foi biopsiada e, se não houve lesões, uma biópsia aleatória foi feita. O resultado da biópsia foi considerado o padrão ouro. Sensibilidade, especificidade, valores preditivos positivo (VPP) e negativo (VPN) para detecção de neoplasia intraepitelial de alto grau foram calculados para o exame de Papanicolaou sozinho, genotipagem isolada e exame de Papanicolaou combinado com genotipagem. O exame de Papanicolaou foi considerado positivo quando apresentou displasia baixa ou alta ou célula escamosa atípica de significado indeterminado. A genotipagem foi considerada positiva quando qualquer HPV de alto risco foi detectado.

Resultados A maioria dos pacientes era do sexo masculino (73,75%), HIV+(84,75%) e 73% referiram sexo anal receptivo. A média de idade foi de 48,85 anos e eles foram incluídos no programa de rastreamento por uma média de 40,2 meses. A sensibilidade, especificidade, VPP e VPN de uma genotipagem positiva foi de 65%, 59%, 16% e 93%, respectivamente. Para citologia anal, os valores foram 58%, 70%, 18% e 94%, respectivamente. Quando os dois métodos foram combinados ‐ considerando citologia alterada ou genotipagem, a sensibilidade aumentou para 90% (IC95% 0,79‐1,01). A especificidade foi de 38%, VPP, 15% e VPN, 97%. Estas taxas não foram estatisticamente diferentes quando calculadas separadamente para pacientes HIV+ou do sexo feminino. Pacientes que tiveram ambos os exames alterados tiveram uma chance de 20,75% de apresentar neoplasia intraepitelial de alto grau. Se esses critérios fossem aplicados para encaminhar os pacientes para ARS, haveria uma redução de 34,75% dos encaminhamentos com apenas 1,06% de testes falso‐negativos.

Conclusão(ões) A associação da genotipagem com a análise citológica do Papanicolaou aumentou a sensibilidade e o VPN da triagem sem acrescentar nenhum procedimento invasivo. O HPV 16 é o subtipo mais carcinogênico do HPV e sua ausência foi fortemente correlacionada com biópsias de alto grau, sendo o único marcador com alta especificidade. Marcadores adicionais ainda precisam ser estudados para melhorar a especificidade da triagem.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools