Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 22 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 22 (October 2017)
TL5‐050
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.349
Open Access
RESERVATÓRIO ILEAL DE PACIENTES COM RETOCOLITE ULCERATIVA E POLIPOSE ADENOMATOSA FAMILIAR EXIBEM ALTERAÇÕES NA VIA DE AUTOFAGIA
Visits
...
Nielce Maria Paiva, Lívia Bitencourt Pascoal, Leandro Minatel Vidal de Negreiros, Claudio Saddy Rodrigues Coy, Maria de Lourdes Setsuko Ayrizono, Marciane Milanski, Raquel Franco Leal
Laboratório de Investigação em Doenças Inflamatórias Intestinais, Coloproctologia, Faculdade de Ciências Médicas (FCM), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Campinas, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A cirurgia do reservatório ileal (RI) é o procedimento de escolha para pacientes com retocolite ulcerativa (UC) refratária ao tratamento clínico. A bolsite é uma das complicações mais comuns após a cirurgia. Alterações nas vias de autofagia têm sido relatadas nas doenças inflamatórias intestinais. Entretanto, não há estudos no RI.

Objetivo: Avaliar autofagia nos RI de pacientes com UC e polipose adenomatosa familiar (FAP) e comparar com controles de íleo distal normal.

Casuística e método: Foram estudados 16 pacientes com RI em J, assintomáticos e endoscopicamente normais. O grupo controle foi constituído por oito pacientes com ileocolonoscopia normal. Foi avaliada a expressão dos transcritos ULK1, BECN1, ATG16L1, ATG5, MAP1LC3A, BAX, BCL2, por qPCR e das proteínas Beclin‐1, LC3 II, p62 e HSC‐70 por imunoblot e imunofluorescência. O presente estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa. Para análise estatística, usaram‐se testes não paramétricos, com significância adotada de p<0,05.

Resultados: Houve diminuição significativa dos níveis transcricionais de ATG5, MAP1LC3A e BAX no grupo FAP (p<0,05). Houve diminuição do nível proteico de Beclin‐1 nos grupos UC e FAP comparados com o controle (p<0,05). Apesar de os níveis de LC3II por imunoblot estarem elevados no grupo UC, a LC3 total e a colocalização LC3/p62 mostraram‐se diminuída na análise por imunofluorescência nos grupos UC e FAP comparados com o controle (p<0,05). Verificou‐se aumento de p62 no grupo UC por imunoblot, o que corroborou esses resultados.

Conclusão: Os achados evidenciam possível deficiência do mecanismo de autofagia no RI, tanto na UC quanto na FAP, porém por mecanismos distintos. Na FAP, provavelmente é secundário à diminuição da apoptose e na UC seja devido principalmente à ativação crônica dos Toll‐like receptors. A diminuição da autofagia leva ao acúmulo de proteínas disfuncionais no citoplasma, conduz à ativação de vias pró‐inflamatórias, o que poderia explicar a predisposição à inflamação no RI principalmente na UC.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools