Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 189-190 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 189-190 (November 2019)
317
Open Access
RESGATE DAS COMPLICAÇÕES DE ANASTOMOSE APÓS ETM LAP PELA OPÇÃO DE REABAIXAMENTO DE CÓLON
Visits
...
Mt. Marcante, Araujo Sea, As. Portilho, Bb. Vailati, Ve. Seid, Ls. Gerbasi
Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área: Cirurgia Minimamente Invasiva, Novas técnicas cirúrgicas/Avanços Tecnológicos em Cirurgia Colorretal e Pélvicas e Anorretais

Categoria: Pesquisa básica

Forma de Apresentação: Tema Livre (apresentação oral)

Objetivo(s): Avaliar os resultados clínicos imediatos após reabaixamento de cólon empregando via de acesso cirurgia minimamente invasiva, em pacientes que cursaram com complicação de anastomose após ETM videolaparoscópica.

Método: Análise retrospectiva de registro prospectivo em um serviço especializado em cirurgia oncológica colorretal minimamente invasiva de pacientes operados entre 2016 e 2019.

Resultados: Oitenta e um pacientes com câncer do reto foram submetidos a ETM lap no período pela mesma equipe cirúrgica. Desses, 61 (76%) foram submetidos a tratamento neoadjuvante. Nove pacientes (11%) evoluíram com complicação da anastomose e abscesso pélvico. Todos foram tratados com antibioticoterapia e drenagem com resolução. Sete (64%) dos pacientes com complicação de anastomose necessitaram de resgate por meio de reabaixamento e reanastomose coloanal. Dos pacientes submetidos a reabaixamento de cólon, 4 (44%) eram do sexo feminino e 3 (33%) do sexo masculino, com média de idade de 50 (30‐69) anos. Quatro (44%) necessitaram de drenagem percutânea de abscessos. O intervalo de tempo médio entre a ETM lap e o diagnóstico de complicação foi de 16 semanas (1‐60). O intervalo de tempo médio entre o diagnóstico de complicação e a o reabaixamento foi de 44 semanas (1‐137). Não foi relatada nenhuma complicação intraoperatória ou pós‐reabaixamento. Dos pacientes submetidos ao fechamento da ileostomia, o intervalo de tempo médio entre o reabaixamento e o fechamento da ileostomia foi de 22 (8‐40) semanas. O intervalo de tempo médio entre a ETM lap e a indicação de tratamento adjuvante para os pacientes que tiveram reabaixamento foi de 6 (4‐16) semanas.

Conclusão(ões): A ocorrência de complicações após excisão total do mesorreto videolaparoscópica (ETM lap) em pacientes com neoplasia de reto localmente avançado e submetidos a tratamento neoadjuvante pode atingir 20% dos casos. Significativa morbidade e muitas intervenções que envolvem derivação intestinal são requeridas para o manejo dessa complicação. Ainda, há impacto sobre a segurança oncológica como resultado do atraso no início do tratamento adjuvante. Dependendo da apresentação, o manejo inclui a necessidade de reintervenção e reconstrução. Porem, foi demonstrado que a opção de resgate da insuficiência da anastomose coloanal em pacientes com câncer do reto localmente avançado e submetidos a ETM lap é viável e segura e pode ser conduzida sem nenhuma morbidade específica associada à técnica de resgate.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools