Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 124 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 124 (November 2019)
235
Open Access
Ressecção anterior de reto assistida por incisão transperineal
Visits
...
R.F.G.D. Howes, D.M. Baldez, A.P. Pandelo, R.H. Petrosemolo, J.P.F. Calheiros, A.P. Da Costa, B.C. Bavaresco, R.M. Machado
Hospital Federal do Andaraí, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Article information
Full Text

Área: Cirurgia Minimamente Invasiva, Novas técnicas cirúrgicas/Avanços Tecnológicos em Cirurgia Colorretal e Pélvicas e Anorretais

Categoria: Relatos de caso

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Descrever técnica auxiliar de acesso perineal para RAR de difícil acesso por via abdominal

Descrição do caso:C.A.C., 60 anos, portador de TU de reto inferior, 5cm da MA. TC/RM: tumor em intimo contato com próstata, sem metástases. Procedimento respeitou tempos cirúrgicos tradicionais até dissecção ao nível dos elevadores do ânus, onde face anterior do reto apresentava intima relação com a próstata. Pelve estreita tornava difícil a diferenciação entre tumor e próstata e secção segura do reto com margem de segurança distal, grampeador retal Contour não disponível. Para evitar uma amputação de reto com exenteração e estoma urinário, realizou-se, em litotomia, incisão perineal transversa 2cm acima do ânus com comprimento de 4cm, dissecado fossas isquioretais circundando o reto, tracionando-o para a ferida é realizado grampeamento com carga roxa 45. Dissecado com segurança o reto anteriormente até cápsula prostática e margens laterais. Retornado para abordagem abdominal para onde peça cirúrgica é seccionada do cólon descendente e removida. Liberação peritoneal do descendente até ângulo esplenico para mobilização e anastomose colo-anal sem tensão a 2cm da margem anal com grampeador circular Ethicon 33, realizado ileostomia de proteção. Ferida perineal foi fechada por planos anatômicos com fio absorvível Poliglactina. No pós operatório, evoluiu com pequena infecção de FO perineal, tratada com Amoxicilina-clavulanato. Alta no 7 PO em boas condições. No seguimento ambulatorial evoluiu com estenose da anastomose colo-anal, submetido a dilatações digitais semanais. HP concluiu Adenocarcinoma moderadamente diferenciado, infiltrando todas as camadas até gordura pericólica, sem invasão angiolinfática e perineural. Margens distais, proximais e anéis anastomóticos livres. Margem da loja prostática evidenciava tecido colônico infiltrado por adenocarcinoma porem sem tecido prostático, metástase de 1/15 linfonodos isolados. pT3pN1a. No momento da realização deste relato o paciente havia sido encaminhado para adjuvancia

Discussão e Conclusão(ões): Grampeadores possibilitam diminuição do tempo cirúrgico e facilitam a secção distal por via abdominal exclusiva com ressecção da margem com maior segurança. A incisão perineal foi essencial para evitar uma amputação de reto. Patologia não evidenciou tecido prostático na margem radial, indicando possibilidade do tumor não ter invadido próstata, congelação não estava disponível, o que possibilitaria ampliação da margem durante procedimento. Dissecção VLP facilitaria obtenção de margem adequada, porém não estava disponível. O amparo ao paciente é dever do médico, sua busca é inexorável, abordagens não convencionais devem ser contempladas quando se visa o benefício do mesmo, concluímos que uma abordagem retal por via perineal pode ser, seguramente utilizada em casos semelhantes. O benefício no caso relatado foi nítido, poupando-o de uma amputação de reto, diminuindo a morbidade imposta por essa técnica além de minimizar tempo de internação e recursos hospitalares já escassos.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools