Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 2 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 2 (October 2017)
TL1‐003
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.302
Open Access
RESULTADOS INICIAIS DE PACIENTES SUBMETIDOS À OPERAÇÃO TRANSANAL ENDOSCÓPICA PARA RESSECÇÃO DE TUMORES RETAIS
Visits
...
Carlos Ramon Mendesa, Meyline Limaa, Luciano Ferreiraa, Rafael Ferraza, Ricardo Sapucaia, João Luiz Silvab, Andre Santosb
a Hospital Santa Izabel, Salvador, BA, Brasil
b Hospital Geral Roberto Santos, Salvador, BA, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A microcirurgia transanal endoscópica tem se mostrado uma opção para ressecção de tumores retais, permite a excisão total da lesão de forma segura com baixa morbidade e bons resultados.

Objetivo: Apresentar os resultados de pacientes submetidos à operação transanal endoscópica para ressecção de tumores no reto.

Material e métodos: Estudo prospectivo não randomizado, de paciente submetidos a cirurgia de 2012 a 2016, para ressecções de tumores retais com uso do TEO (Transanal Endoscopic Operations ‐ Storz, Tuttlingen, Germany).

Resultados: Foi feita ressecção via operação transanal endoscópica em 96 pacientes, 59,4% (57) do sexo feminino e 40,6% do masculino, média de 58 anos. As lesões variaram de 2cm a 15cm da borda anal e apresentaram tamanho de 1cm a 10cm; 93,8% dos pacientes receberam alta no 1° DPO, 4,2% no 2° e 2% no 3°. Em 37,5% a lesão apresentava‐se em parede posterior de reto, em 15,6% em parede anterior e 47,9% em paredes laterais. Ocorreram seis (6,25%) complicações identificadas no intraoperatório, quatro perfurações retais, uma laceração anal e um sangramento, todas resolvidas durante procedimento. Quatro (4,1%) pacientes cursaram com complicações pós‐operatórias com tratamento conservador e um paciente cursou com sepse secundária a síndrome de Fournier com evolução desfavorável e evolução a óbito. Dois pacientes (2,08%) apresentaram recidiva da lesão. Análise histopatológica evidenciou adenomas em 64,5% dos casos, tumor neuroendócrino em 23,9%, carcinoma escamocelular em 2%, melanoma, GIST, lipoma e processo inflamatório em 1% e 4,1% apresentaram adenocarcinoma de reto.

Conclusão: O uso do TEO é opção viável e seguro para as ressecções transanais de tumores retais benignos e casos bem selecionados de tumores malignos.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools