Journal Information
Vol. 38. Issue S1.
Pages 145 (October 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 38. Issue S1.
Pages 145 (October 2018)
TL58
DOI: 10.1016/j.jcol.2018.08.310
Open Access
SÉRIE DE CASOS DE REAÇÃO CUTÂNEA À APLICAÇÃO DO ADALIMUMABE
Visits
...
Bruno Lorenzo Scolaro, Claudia Theis, Beatriz Cavalheiro Bonatelli, Everson Fernando Malluta, Munique Kurtz de Mello, Ana Paula Vavassori, Barbara Tortato Piasecki
Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), Itajaí, SC, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: Considerado um anticorpo recombinante monoclonal IgG1, o adalimumabe, neutraliza a atividade do fator de necrose tumoral alfa (TNF‐α) ao se ligar ao mesmo. Por se tratar de uma droga totalmente humana, é esperado que cause pouca resposta imunológica ou insignificante. Os efeitos adversos mais importantes relacionados ao seu uso são síndrome nefrótica, indução de doença pulmonar intersticial, citopenias, elevação de transaminases e reações alérgicas, sendo estas últimas raras (1,5 a 11%).

Relato de caso: Relata‐se uma série de casos de 3 pacientes femininas, de 25, 32 e 36 anos, com Doença de Crohn moderada a severa evoluindo com o uso de biológico, o adalimumabe. A 1ª, em uso de 6‐mercaptopurina associado ao Humira. A seguinte, fez uso prévio de Azatioprina sendo interrompido devido pancreatite, usando apenas Adalimumabe. A última, 36 anos, em uso de Azatioprina e Adalimumabe. Apresentaram reação cutânea adversa após a aplicação da medicação, essa fora uma reação eritematosa com diâmetro de cerca de 7cm, com calor, edema brilhoso e dor ao toque, sem sintomas sistêmicos. As lesões duravam cerca de 3 dias, autolimitadas, mas com recorrência e piora progressiva dos sintomas a cada aplicação. Realizada terapêutica com Mometasona tópica e com Loratadina sistêmica, sem melhora do quadro, além da não aplicação da ampola recém tirada do congelador, e de ajustes no intervalo das doses. Após falha de todas as tentativas e persistência e progressão dos sintomas, fora optado por suspensão e mudança de medicação.

Discussão: Os casos aqui relatados, vão de encontro ao que a literatura expõe, ao trazer 3 casos de reações cutâneas no local da aplicação, relacionadas ao uso do adalimumabe, as quais são raras e inespecíficas dessa medicação. Quanto aos excipientes da sua formulação, não foram encontrados estudos demonstrando reações cutâneas associadas a sua aplicação e, desta forma, não há base científica, até o presente momento, para atribuí‐los como causa. Assim, a terapêutica se restringiria a sintomáticos, sem a necessidade da suspensão da droga, o que não foi possível nos casos. Além disso, a progressão das lesões a cada aplicação da droga sugere o risco de evolução para um quadro mais grave, o que sustenta a necessidade de substituição da medicação.

Conclusão: Nota‐se a carência de estudos quanto a causa dessas reações cutâneas, a fim de elucidar o seu manejo, devido ao dano causado pela necessidade de troca ou suspensão da droga.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools