Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 40-41 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 40-41 (November 2019)
587
Open Access
Síndrome de fournier, diagnóstico tardio de apendicite
Visits
...
A.O. Lima, J.Gd.A. Filho
Hospital Regional de Ceilândia (HRC), Brasília, DF, Brasil
Article information
Full Text

Área Miscelâneas

Categoria Relatos de caso

Forma de Apresentação Pôster

Objetivo(s) Relatar quadro de característica insidiosa e de prognóstico ruim por diagnóstico tardio e complicações

Descrição do caso N.C.S., 58 anos, feminino, obesa, etilista e diabética foi admitida com dor abdominal em hipogástrio e região glútea, disúria, polaciúria e diarreia com evolução de 12 dias, com relato de tratamento recente de infecção do trato urinário com uso de ertapenem ‐ ev – 1g/dia, em admissão apresentava ao exame físico 2 lesões ulceradas em região perianal com áreas de necrose extensa e saída de secreção purulenta, sendo indicado debridamento em centro cirúrgico com retirada de tecido desvitalizado e drenagem de abcesso glúteo e mantida antibioticoterapia com carbapenêmico; Em 3° DPO, a paciente evoluiu com dor intensa em região da ferida, com contaminação fecal da mesma, queda do estado geral, leucocitose ascendente, sendo procedida lavagem de ferida operatória e ampliação de esquema antibiótico com uso de clindamicina.No 6° DPO, evoluiu com desconforto respiratório grave e instabilidade hemodinâmica, fazendo‐se necessário uso de drogas vasoativas e indicada laparotomia exploradora dado quadro de dor abdominal de forte intensidade associado a sinais de peritonite no inventário da cavidade, foram encontradas lesão de intestino delgado e extensa lesão proximal de reto com perfuração. O apêndice cecal não foi visualizado, apresentando apenas sua base com perfuração do ceco e extravasamento do conteúdo intestinal, então optada por realização de enterectomia com ileostomia. Em pós‐operatório imediato paciente evoluiu com piora gradativa com instabilidade hemodinâmica grave e choque refratário a uso de aminas vasoativas, com evolução sombria e óbito apesar de otimizadas medidas terapêuticas.

Discussão e Conclusão(ões) A fasciíte necrotizante, é um processo que comumente se inicia de uma infecção anorretal ou de trato geniturinário, havendo‐se necessidade de ampliar recursos diagnósticos quando não presentes tais causas, conta com os fatores de risco de obesidade e diabetes mellitus como apresentados por paciente, de etiologia poli microbiana com elevada resistência antibiótica, o tratamento da sepse com retirada de foco por desbridamento não deve ser postergado e ausentes condições de tratamento de ferida sem contaminação fecal ou esfincter anal lesionado ou não competente deve‐se optar pela colostomia protetora. O caso acima descrito tem por fim objetivo de salientar a elevada mortalidade de tal afecção, necessidade de sua abordagem imediata e diagnóstico etiológico com tratamento adequado para diminuição de sua morbidade.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools