Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 152 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 152 (November 2019)
845
Open Access
Taxa de complicações no pós‐operatório de pacientes com endometriose com e sem acometimento intestinal submetidas a cirurgia em serviço de referência
Visits
...
L.B. Verasa, E.S. Correiaa, K.L. Augustoa, E.A. Rolimb, C.E.L. Soaresb
a Maternidade Escola Assis Chateaubriand (MEAC), Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, CE, Brasil
b Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, CE, Brasil
Article information
Full Text

Área: Cirurgia Minimamente Invasiva, Novas técnicas cirúrgicas/Avanços Tecnológicos em Cirurgia Colorretal e Pélvicas e Anorretais

Categoria: Pesquisa básica

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Apresentar a taxa de complicações no pós‐operatório de pacientes com endometriose com e sem acometimento intestinal em uma casuística de pacientes submetidas à ressecção cirúrgica em serviço de Ginecologia e Coloproctologia em hospital de referência da região Nordeste entre janeiro de 2018 e julho de 2019.

Método: Estudo retrospectivo com revisão de prontuários de 90 pacientes acompanhadas no serviço de Ginecologia e Coloproctologia por cirurgia de ressecção de focos de endometriose, elaboração de planilha e análise de dados através do software GraphPad Prism®.

Resultados: A coorte foi composta por 90 pacientes que foram submetidas à cirurgia para exérese de focos de endometriose. Desses, 47 (48%) tinham acometimento intestinal. Retossigmoidectomia foi realizada em 35 pacientes (39%), ooforectomia em 27 (30%) pacientes e salpingectomia em 17 (19%). Após a cirurgia, 77 pacientes (86%) evoluíram sem intercorrências no pós‐operatório imediato. Sangramento transvaginal foi a queixa mais comum, ocorrendo em 7% dos pacientes, hematoquezia em 2% e dor no ombro direito em 2%. Duas pacientes tiveram secreção purulenta na ferida operatória, sendo submetidas à drenagem da mesma. A complicação de sangramento transvaginal ocorreu apenas nas pacientes com acometimento intestinal. Infecção da ferida operatória seguida de drenagem ocorreu em um caso de cada grupo. Recidiva da doença ocorreu em 6 pacientes (7%) durante a realização desse estudo, sendo submetidas novamente à cirurgia.

Conclusão(ões): Os índices de complicações maiores e menores com a cirurgia colorretal na endometriose profunda variam de acordo com a literatura, de 0 a 13%. As complicações graves desse tipo de cirurgia são principalmente relacionadas à perfuração inadvertida ou ressecção incidental do reto, seguida da formação de fístula retovaginal, com um risco de até 10% em serviços de referência. Esse estudo mostrou baixas taxas de complicações e taxas de recidivas compatíveis com a literatura. As pacientes mantiveram seguimento ambulatorial e não houve óbito durante o período de estudo.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools