Journal Information
Vol. 38. Issue S1.
Pages 152 (October 2018)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 38. Issue S1.
Pages 152 (October 2018)
DOI: 10.1016/j.jcol.2018.08.325
Open Access
TL73 PERFIL EPIDEMIOLÓGICO E FUNCIONAL DOS PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA ORIFICIAL
Visits
...
Barbara Bazzanoa,b, Karina Correa Ebrahima,b, Murilo Tomiyoshia,b, Barbara Pereira de Laraa,b, Univaldo Etsuo Sagaea,b, Gustavo Kurachia,b, Doryane Maria dos Reis Limaa,b
a Centro Universitário Fundação Assis Gurgacz, Toledo, PR, Brasil
b Gastroclínica Cascavel, Cascavel, RS, Brasil
Article information
Full Text

Objetivo: Avaliar os pacientes portadores de patologia orificial submetidos a tratamento cirúrgico após avaliação funcional com manometria.

Método: Trata‐se de um estudo retrospectivo com análise prospectiva dos dados envolvendo portadores de patologia orificial, submetidos a cirurgia e que realizaram eletromanometria anorretal num serviço de coloproctologia entre março de 2013 a maio de 2018. Foram estudados 143 pacientes, sendo 44 homens e 99 mulheres com média de idade de 44,6 anos (variando de 22 a 78). Os pacientes foram submetidos a eletromanometria anorretal por um aparelho Alacer de 8 canais com perfusão continua de água. As variáveis analisadas foram: pressão de repouso e de contração e a presença ou ausência de anismus.

Resultados: Cento e dezenove pacientes tinham realizado o exame como pré‐operatório de hemorroidectomia (80 mulheres e 39 homens). Oito pacientes como pré‐operatório de fissurectomia (6 mulheres e 2 homens), 11 pacientes por fistulectomia, 12 pacientes por plicoma e 3 por lesão anal. A média da pressão de repouso no pré‐operatório de hemorroidectomia foi de 58,5mmHg (variando de 11‐110,5), no de fissurectomia foi de 64,8mmHg (variando de 45‐104,6), 47,2mmHg no de fistulectomia (variando de 41‐70,5mmHg), 55,8mmHg no de plicoma (variando de 44,6‐7) e 47,5mmHg no de lesão anal (variando de 42.9‐ 50,9). A média da pressão de contração no pré‐operatório de hemorroidectomia foi de 158,8mmHg (variando de 70‐298,9), no de fissurectomia foi de 171,2mmHg (variando de 116,9‐232,4mmHg), 146,1mmHg no de fistulectomia (variando de 91,8‐323,7), 129,35mmHg no de plicoma (variando de 86,5‐298,9) e 174,7mmHg no de lesão anal (variando de 118,2‐182,6). Foi aplicado o teste t de ANOVA para comparar a pressão de repouso e de contração entre os grupos com achado de p estatisticamente significativo na pressão de repouso (p = 0,001) e não significativo na pressão de contração (p=0,8158).

Conclusão: Conclui‐se que a pressão de repouso no grupo dos pacientes no pré‐operatório de fissurectomia é maior do que os pacientes que foram submetidos às outras cirurgias orificiais.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools