Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 97 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 97 (October 2017)
P‐055
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.056
Open Access
TUMOR NEUROENDÓCRINO DE VÁLVULA ILEOCECAL: RELATO DE CASO
Visits
...
Monykelly de Sá Carvalhoa, Mychelly de Sá Carvalhob, Alexandre da Silva Nishimurab, Marcelo Carlos de Sá Carvalhoc, Mykaelly Kelly de Sá Carvalhod, Evelyn Cristina da Rosa Granja Batalinib, Larissa dos Santos Gonçalves Gilb
a Universidade Federal do Acre (Ufac), Rio Branco, AC, Brasil
b Santa Casa de Ourinhos, Ourinhos, SP, Brasil
c Universidade Tiradentes (Unit), Aracaju, SE, Brasil
d Faculdade de Ciências Médicas da Paraíba, Cabedelo, PB, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: O tumor neuroendócrino (TNE) de intestino delgado foi descrito em 1988 por Lubarsch, os tumores carcinoides são neoplasias funcionais que podem surgir em qualquer parte do corpo. Cerca de 73% dos casos tem sua origem no trato gastrointestinal, principalmente no apêndice cecal, intestino delgado e reto.

Descrição do caso: J.L.C, 52 anos, masculino, pardo, deu entrada em hospital terciário com queixa de diarreia sanguinolenta havia 15 dias, episódios de enterorragia e perda ponderal de 5% do peso corpóreo. Feita endoscopia digestiva alta sem alterações e colonoscopia com presença de lesão polipoide em válvula ileocecal, foi biopsiada (tumor neuroendócrino). Exames de estadiamento: tomografia de tórax sem alterações; enterorressonância de abdome e pelve: imagem de formação nodular, em topografia do ceco, media 5 x 3,5cm, com presença de sinais de espessamento da válvula ileocecal em contiguidade com a lesão e presença de linfonodos satélites. O paciente foi submetido a colectomia direita com linfadenectomia videolaparoscópica, evoluiu no terceiro dia de pós‐operatório (PO) com deiscência de anastomose, que levou a choque séptico devido a peritonite fecal, foi reabordado com laparotomia exploradora com limpeza de cavidade e confecção de ileostomia terminal, permaneceu 14 dias em Unidade de Terapia Intensiva com apoio ventilatório e hemodinâmico, recebeu alta hospitalar no 22° PO. Anatomopatológico: tumor neuroendócrino com invasão até serosa, margens cirúrgicas livres, com invasão linfática, sanguínea e perineural. Laudo imuno‐histoquímico: tumor neuroendócrino grau I, tumor carcinoide de válvula ileocecal.

Discussão: O surgimento de tumores carcinoides do intestino delgado tem origem de células endocrinoepiteliais disseminadas pelo intestino, os TNE do intestino delgado acometem usualmente o íleo distal dentro de 60cm da válvula ileocecal, a incidência aumenta com a proximidade do ceco.

Conclusão: O tratamento consiste na ampla ressecção da lesão com linfadenectomia regional. Os tumores de íleo geralmente apresentam‐se em estágios avançados da doença, pode ser indicado tratamento adjuvante.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools