Journal Information
Vol. 39. Issue S1.
Pages 97 (November 2019)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 39. Issue S1.
Pages 97 (November 2019)
670
Open Access
Tumor neuroendócrino invasivo de reto: relato de caso
Visits
...
D.A. Chiumento, T.Z.M. Bandeira, P.D.S. Junior, G.D.D.A. Ribeiro, L.R. Campos, G. Seva‐Ribeiro, P.B. Tarabay, J.J. Oliveira Filho
Hospital Municipal Dr. Mário Gatti, Campinas, SP, Brasil
Article information
Full Text

Área: Doenças malignas e pré‐malignas dos cólons, reto e ânus

Categoria: Relatos de caso

Forma de Apresentação: Pôster

Objetivo(s): Apresentação de um relato de caso de tumor neuroendócrino invasivo de reto.

Descrição do caso:C.A.S.V., masculino, 53anos, com quadro clínico de síndrome consuptiva (perda de 20kg em 3meses) e dor anal de forte intensidade, foi internado para investigação com equipe de Clínica Médica. Foi solicitada avaliação da Coloproctologia que, ao exame clínico encontrou paciente descorado, desidratado e com fácies de dor. No exame físico proctológico foi identificado ao toque retal lesão vegetante endurecida e com base fixa a 5cm da margem anal que ocupava 50% da circunferência do órgão. Foi realizada biópsia. Exame de ressonância de pelve evidenciou lesão expansiva de reto médio e distal comprometendo transição anorretal e acometendo processo transverso de L5 e sacro, com descontinuidade da cortical óssea e alteração em medula óssea em ossos da pelve. A tomografia de abdome demonstrou múltiplas imagens em fígado sugestivas de implantes metastáticos secundários de até 4cm. Resultado de anatomopatológico: neoplasia maligna invasiva de células redondas e azuis, hipótese de tumor neuroendócrino. O paciente evoluiu com piora progressiva do estado geral e dor em pelve, foi discutido com Oncologia Clínica e equipe de controle de dor, sem proposta cirúrgica, com tratamento para dor crônica refratária e paliação.

Discussão: Os tumores neuroendócrinos são neoplasias raras que compreendem 0,49% de todas as neoplasias malignas e 1–2% dos tumores de reto. São tumores de crescimento lento, estimando‐se que até 50% dos pacientes apresentam metástase ao diagnóstico, com prognóstico de sobrevida de 8% em 5anos nos casos de lesões avançadas.

Conclusões: Os tumores neuroendócrinos, apesar de raros, devem ser considerados como diagnóstico diferencial nas tumorações retais malignas.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools