Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 139-140 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 139-140 (October 2017)
P‐154
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.155
Open Access
ÚLCERA RETAL POR CITOMEGALOVÍRUS: RELATO DE CASO
Visits
...
Marcos Antônio de Souza Júnior, José Paulo Teixeira Moreira, Hélio Moreira Júnior, Paula Chrystina Caetano de Almeida Leite, Raniere Rodrigues Issac, Caroline de Lima Oliveira, Valesca de Souza Ueoka
Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, GO, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: O citomegalovírus é um vírus DNA encontrado na saliva, urina, no sêmen e em outras secreções corporais. É uma infecção prevalente, estima‐se que 40‐60% de doadores de sangue saudáveis tenham evidência de infecção por citomegalovírus. Na maioria das vezes tem uma apresentação que passa despercebida, mas pode ser grave em gestantes e em imunocomprometidos.

Descrição do caso: E.F.C., 55 anos, aposentado, transplantado renal havia 15 anos em uso diário de micofenolato e rapamune. Emagrecimento de 30kg de agosto de 2016 a fevereiro de 2017, associado a forte dor anal que piorava às evacuações. Exame proctológico com intensa dor ao toque retal e presença de úlceração em linha média posterior a 3cm da margem anal; colonoscopia de fevereiro de 2017 apresentava úlceração profunda em reto inferior com suspeita de perfuração. Sorologia IgG/IgM e PCR positivas para citomegalovírus. Feito tratamento com ganciclovir por 21 dias com melhoria da dor anal e ganho de peso gradativo durante a internação. Atualmente acompanha no ambulatório de coloproctologia do HC‐UFG com boa evolução clínica.

Discussão: Durante a investigação de colite e ulcerações inespecíficas, uma série de patologias deve ser eliminada, principalmente em pacientes imunossuprimidos e em países de clima tropical. Foram solicitadas sorologias para HIV, hepatite B e C, citomegalovírus, PPD, pesquisa de toxina A e B de C. difficile nas fezes. Na infecção pelo citomegalovírus, o vírus multiplica‐se na camada endotelial do segmento do cólon acometido, favorece o surgimento de vasculites e tromboses e, por consequência, quadros isquêmicos. Esse evento se mostrou mais frequente em pacientes transplantados renais.

Conclusões: A infecção por citomegalovírus pode se apresentar com ulcerações, erosões e hemorragias. A intervenção cirúrgica pode ser necessária apesar do adequado tratamento com antiviral pela possibilidade de megacólon tóxico e perfuração. Felizmente, neste caso, o desfecho com o tratamento cínico foi satisfatório.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools