Journal Information
Vol. 37. Issue S1.
Pages 132-133 (October 2017)
Share
Share
Download PDF
More article options
Vol. 37. Issue S1.
Pages 132-133 (October 2017)
P‐138
DOI: 10.1016/j.jcol.2017.09.139
Open Access
USO DE DINITRATO DE ISOSSORBIDA EM CRIANÇAS COM FISSURA ANAL COM AVALIAÇÃO MANOMÉTRICA
Visits
...
Rodrigo Sapucaiaa, Paloma Sapucaiab, Rodolfo Damiana, Bruno Francoc, Jose Sapucaiaa, Clara Carvalhoa, Paola Meinickea
a Hospital Heliópolis, São Paulo, SP, Brasil
b Universidade Salvador (Unifacs), Salvador, BA, Brasil
c Hospital do Servidor Público Municipal de São Paulo (HSPM‐SP), São Paulo, SP, Brasil
Article information
Full Text

Introdução: A etiopatogenia da fissura anal na criança não está elucidada completamente. A isquemia da comissura posterior, somada à hipertonia do esfíncter interno, é a teoria mais aceita. O dinitrato de isossorbida provoca direta e indiretamente uma inibição da contração do esfíncter interno (esfincterotomia química).

Metodologia: Durante 2016, de janeiro a maio, 18 pacientes portadores de fissura anal foram tratados com uma fórmula que continha dinitrato de isossorbida, vitamina A e D, e xilocaína. Foram desconsiderados pacientes que tinham fissura anal e doença inflamatória associada. Desses 18 pacientes, 10 eram do sexo feminino e oito do masculino, variaram entre três e 14 anos. Dos 18 pacientes, 12 tinham fissura aguda e seis crônica. Os sintomas mais comuns foram sangramento retal após evacuações e dor durante ou após o ato de evacuar. Foi feita manometria anorretal computadorizada antes e após o tratamento, que durou 35 a 55 dias.

Resultados: Dos 18 pacientes submetidos à manometria anorretal, 72,2% (13) tinham tônus aumentado e 27,8% (cinco acientes) tinham tônus normal. No fim de 40 dias, todos apresentaram melhoria de pelo menos uma das queixas de sangramento retal e dor anal; na manometria feita posteriormente ao tratamento, todos tiveram diminuição do tônus anal. A cefaleia foi o efeito colateral relatado por cinco pacientes.

Conclusão: O uso de esfincteromia química constitui uma boa opção para evitar ou retardar o tratamento cirúrgico, aliado à medidas higiênico‐dietéticas.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Subscribe to our newsletter

Article options
Tools