Compartilhar
Informação da revista
Vol. 38. Núm. S1.
Páginas 190 (Outubro 2018)
Compartilhar
Compartilhar
Baixar PDF
Mais opções do artigo
Vol. 38. Núm. S1.
Páginas 190 (Outubro 2018)
DOI: 10.1016/j.jcol.2018.08.412
Open Access
VL60 TRATAMENTO DA ENDOMETRIOSE INTESTINAL COM EXTRAÇÃO DO ESPÉCIME CIRÚRGICO VIA ORIFÍCIO NATURAL
Visitas
...
Denise D’Avila Búrigo, Giancarlo Búrigo, Gilson Henrique Strobel
Hospital Unimed Criciúma, Criciúma, SC, Brasil
Informação do artigo
Texto Completo
Baixar PDF
Estatísticas
Texto Completo

Introdução: A endometriose ocorre devido a implantação de tecido endometrial de maneira ectópica, que pode ocorrer na sua forma intestinal, geralmente afetando mulheres jovens causando quadros álgicos e infertilidade.A via laparoscópica é uma alternativa atrativa por vários aspectos já conhecidos. A opção da extração da peça cirúrgica através de orifícios naturais ocorre quando a peça cirúrgica é retirada via vaginal ou via retal, por exemplo.

Descrição do caso: Mulher, 48 anos, com queixa recorrente de dor pélvica associada a dispareunia, quadros de diarreia recorrentes e metrorragia. Durante investigação com equipe da ginecologia, achado, em ressonância magnética (RM) da pelve, útero com volume estimado de 308,7 cm3, com pelo menos três nodulações hipodensas sugerindo lesões miomatosas intramurais com componentes subserosos. Além disso, lesão de aspecto infintrativo de limites mal definidos na região retrocervical, tocando o reto posteriormente em extensão longitudinal de 1,8cm e 20% da circunferência, a cerca de 10cm da borda anal com irregularidades da mucosa sugerindo comprometimento transmural. Achado que se confirmou à ultrassonografia com preparo intestinal. Indicado tratamento cirúrgico, realizada histerectomia total com salpingectomia bilateral e retossigmoidectomia parcial videolaparoscópica, optado por retirada das peças cirúrgicas via vaginal. Preparo do coto para instalação de grampeador circular para anastomose colorretal via vaginal, sem necessidade de incisões abdominais.

Discussão: Em 1996 foram publicadas as primeiras experiências sobre a retirada de espécimes cirúrgicos via NOSE – Natural Orifice Specimen Extraction na endometriose. A técnica clássica envolve a realização de uma incisão de Pfannestiel ou alargamento de um dos portais para a ressecação colorretal por via laparoscópica para a retirada da peça e para a preparação da alça para anastomose. A utilização de um orifício natural para estas funções torna essa etapa desnecessária, reduzindo possíveis complicações associadas a incisão, diminuindo também o tempo intraoperatório, além de trazer maior satisfação estética para a paciente.

Conclusão: O uso de orifícios naturais é factível e pode abreviar ainda mais o período de hospitalização, o tempo cirúrgico e a incidência de complicações em relação às cirurgias laparotômica e laparoscópica convencional.

Idiomas
Journal of Coloproctology

Receba a nossa Newsletter

Opções de artigo
Ferramentas
en pt
Cookies policy Política de cookies
To improve our services and products, we use "cookies" (own or third parties authorized) to show advertising related to client preferences through the analyses of navigation customer behavior. Continuing navigation will be considered as acceptance of this use. You can change the settings or obtain more information by clicking here. Utilizamos cookies próprios e de terceiros para melhorar nossos serviços e mostrar publicidade relacionada às suas preferências, analisando seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar, consideramos que aceita o seu uso. Você pode alterar a configuração ou obter mais informações aqui.